Vitralizado

Posts com a tag Retrospectiva Vitralizado 2015

Cinema / HQ / Séries

## Retrospectiva Vitralizado 2015: sério que 2016 já começou? ##

Papo rápido só pra dar um ponto final nessa retrospectiva.

Triste que 2016 tenha começado com todo o jeito do mundo de 2015. A cagada épica do Grand Prix do Festival de Angoulême lembra com força a campanha idiota de divulgação do HQMix 2015, reforçando como o meio dos quadrinhos é retrógrado e extremamente conservador. O pessoal do festival francês pode até ter sido um pouco mais rápido pra tentar resolver a situação (as desculpas do HQMix demoraram uma eternidade pra sair, lembra?), mas as reações dos organizadores de ambas as premiações foram semelhantes: partindo pra defensiva e depois assumindo a contragosto que erraram. Triste. Pode não ser a coisa mais agradável do mundo, mas não é tão difícil assumir o erro e tentar deixar as coisas um pouco melhores, né não?

Eu assumo: fiquei com uma vergonha imensa depois que publiquei o primeiro post da minha retrospectiva 2015. Olha todas as entrevistas que fiz ano passado, saca a quantidade de mulheres presentes. Foram pouco mais de 30 entrevistados, só duas mulheres. Feio pra caramba, peço desculpas sinceras. Errei e me comprometo a fazer um trabalho melhor em 2016. A participação do blog na iniciativa #AgoraÉQueSãoElas pode até ter sido um início de conversa, mas ainda assim é pouco. Prometo melhorar.

Também não dei conta de falar de várias outras coisas que rolaram ano passado, como o FIQ. Já estive em outros festivais de quadrinhos, no Brasil e no exterior, e poucos chegam perto da minha experiência em Belo Horizonte. É muita gente, muito gibi e um ambiente com muito conteúdo. Sim, ele ainda tem um tantão pra evoluir (quem não tem?). Entendo e valorizo imensamente o esforço do Festival em buscar um discurso didático, voltado para a formação de público. No entanto, as palestras e debates em que estive presente durante o evento serviam unicamente a esse propósito. Vejo a possibilidade de abrir espaço para diálogos com outras áreas e ideias. Quadrinistas conversando com cientistas políticos, sociólogos, economistas, historiadores, linguistas,…enfim, acho possível ficar melhor do que é, principalmente ao aprofundar as suas discussões.

Sobre a Comic Con Experience não sei se tenho muito a acrescentar. Comprei meu ingresso, cheguei cedo, peguei fila e passei algumas horas dentro da convenção. É bastante organizada e parece ser extremamente rentável para os quadrinistas. Devo estar presente nas próximas edições, principalmente por questões profissionais, mas não é o meu evento preferido. O furor nerd-consumista da CCXP me desgasta. Quinze minutos lá dentro são suficientes pra eu querer dar o fora o quanto antes.

E putz, tem mais um monte de quadrinhos, filmes e séries que não dei conta de comentar, ou sobre os quais gostaria de voltar a escrever, e não consegui. O site é o que mais gosto de fazer, mas só invisto nas horas vagas, no intervalo entre um trabalho e outro. Volta e meia esse intervalo não aparece – ou, quando aparece, eu às vezes prefiro arrumar algo melhor pra fazer, cá entre nós hehe

Enfim, vamo que vamo. Dou por encerrada a retrospectiva de 2015 e volto com os posts normais. E prometo pras próximas semanas uma novidade bem legal, uma das empreitadas mais grandiosas em que esse blog já se meteu. Fica esperto que não demoro pra dar uns detalhes.

Até!

HQ

## Retrospectiva Vitralizado 2015: o Dupin de L.M. Melite ##

Conheci tarde o trabalho de L.M. Melite. Apenas em 2015 li pela primeira vez seus quadrinhos. Leviatã, Desistência do Azul, algumas obras disponíveis apenas na internet e, finalmente, Dupin. Como disse por aqui na primeira vez que escrevi sobre a HQ, Dupin representa o ponto mais alto de Melite como escritor e desenhista: mesmo preocupado com as percepções de seus leitores, ele não tira o pé do acelerador ao criar uma trama com diversos níveis de leitura e vários simbolismos. Leia os trabalhos de Melite, todos. Depois dê uma conferida na conversa que tivemos no final do ano passado. Abro mó sorriso de lembrar que ele já tem uma HQ agendada pra 2016 – por enquanto batizada de Tabloide.

HQ

## Retrospectiva Vitralizado 2015: Pedro Franz e o Incidente em Tunguska ##

Das coisas que mais aguardo para publicar por aqui está uma entrevista com Pedro Franz. As perguntas foram enviadas por email e o quadrinista disse estar em busca de um tempo livre pra responder. Incidente em Tugunka talvez seja o quadrinho brasileiro mais ousado publicado em 2015, outro que consta no meu Top 10 do ano passado. Repleto de experimentações com a as possibilidades da linguagem das HQs, o álbum ganhou uma resenha que merece ser lida lá no Ler BD do Pedro Moura. O problema do livro, pra mim, é ele não ter chegado em mais gente. Se serve de consolo, Incidente em Tugunska está quase na íntegra no site do autor.

HQ

## Retrospectiva Vitralizado 2015: mais um ano de 20th Century Boys ##

Jamais me conformarei com as capas das edições brasileiras de 20th Century Boys. São feias, repetitivas e totalmente esquecíveis. Tirando esse detalhe da versão em português da obra de Naoki Urasawa, o título é imperdível. Já em seus finalmentes, ele não esgota seus mistérios após três anos de duração. Das minhas HQs de ficção científica preferidas na vida. Aposto alto em seu retorno por aqui na retrospectiva de 2016 quando o mangá já tiver chegado ao fim.

HQ

## Retrospectiva Vitralizado 2015: Jules Feiffer e Mate Minha Mãe ##

Outra que consta na minha lista de melhores HQs lançadas no Brasil em 2015. Precisei de apenas algumas horas para ler Mate Minha Mãe de cabo a rabo e depois reli mais algumas vezes. Os desenhos de Jules Feiffer, o enredo da obra e todo o visual da página fogem totalmente ao usual, lembram um monte alguns trabalhos do Will Eisner já no final de sua vida. Saiu por aqui logo após a publicação nos Estados Unidos, algo que nem sempre acontece com obras fora do nicho de super-heróis. Um dos grande de 2015. Leia logo.

HQ

## Retrospectiva Vitralizado 2015: as Aventuras na Ilha do Tesouro de Pedro Cobiaco ##

Apesar de ter um ou outro quadrinho na frente de Aventuras na Ilha do Tesouro na minha lista de melhores gibis do ano passado, não li nenhuma outra obra tantas vezes em 2015 quanto a nova HQ de Pedro Cobiaco. Entrevistei o quadrinista duas vezes ano passado, em abril e também logo após o lançamento da versão impressa da Ilha. Recomendo a leitura de ambas as conversas e principalmente do quadrinho (a HQ ficou linda no papel, mas também dá pra ler de graça na internet, né?).

Cinema / HQ / Séries

## Retrospectiva Vitralizado 2015: o pior ano da Marvel Studios ##

Já comentei por aqui como achei Era de Ultron todo errado e Demolidor superestimado pra caramba. Não mencionei o filme do Homem-Formiga pois não acho digno de nota. E putz, como Jessica Jones é arrastaaaaaaado. Não consigo terminar a série. Ok, o projeto do Universo Cinematrográfico Marvel sempre foi muito mais interessante que os filmes em si. Os longas sempre foram meio capengas, mas era legal acompanhar a construção desse universo maior. Daí em 2015 erram a mão feio. os filmes foram ruins e as séries não chegam nem perto de ser tudo isso que falam por aí. Corre atrás dos encadernados do Bendis pro Demolidor e das 28 edições de Alias e se dê por satisfeito.

HQ

## Retrospectiva Vitralizado 2015: a coletânea O Fabuloso Quadrinho Brasileiro de 2015 ##

Ainda falarei mais sobre O Fabuloso Quadrinho Brasileiro de 2015 por aqui. Por enquanto, deixo apenas um registro para a importância da obra. Dentre diversos aspectos negativos e positivos, o melhor dessa coletânea foram as várias reflexões que ela gerou (e ainda pode gerar). Como item de colecionador e registro histórico de um momento ímpar da produção brasileira de quadrinhos, o livro deve ser aclamado como uma obra sem igual na história das HQs nacionais. Mas, como disse, em breve volto a comentar sobre o livro por aqui.