Vitralizado

Posts com a tag Prêmio Grampo

HQ

– Prêmio Grampo 2018 de Grandes HQs – O resultado final: as 20 HQs mais votadas

O quadrinista Marcelo D’Salete é o vencedor do Prêmio Grampo 2018 de Grandes HQs. O álbum Angola Janga – Uma História de Palmares (Veneta) consta em 18 das 20 listas de eleitores convidados do Grampo, tendo acumulado 158 pontos na contagem dos votos. O gibi vencedor ficou à frente de Aqui (Cia das Letras), de Richard McGuire (106 pontos e presente em 13 listas) e Mensur (Cia das Letras), de Rafael Coutinho (83 pontos e presença em 11 listas).

O Top 10 do Grampo 2018 fecha com Paciência (Nemo), de Daniel Clowes (75 pontos); Sem Dó (todavia), de Luli Penna (59 pontos); Estudante de Medicina (Veneta), de Cynthia B. (37 pontos); O Homem que Passeia (Devir), de Jiro Taniguchi (32 pontos); Alho Poró (La Gougotte), de Bianca Pinheiro (28 pontos); Úlcera Vórtex (Escória Comix), de Victor Bello (24 pontos); e, empatados em 10º, com 23 pontos, Akira – Volume 1 (JBC), de Katsuhiro Otomo; Black Hole (DarkSide Books), de Charles Burns; e Boxe (La Gougotte), por Alexandre S. Lourenço.

Com cinco títulos mencionados nos 20 rankings, estando dois deles entre os seis primeiros (Angola Janga e Estudante de Medicina, de Cynthia B.), a editora Veneta acumulou 221 pontos a maior pontuação no somatório geral de títulos por editoras. Responsável pelo lançamentos dos quadrinhos na segunda e terceira posições, Aqui e Mensur, a Cia das Letras somou 190 pontos. Com quatro obras mencionadas, inclusive a quarta colocada no ranking geral (Paciência, de Daniel Clowes), a Nemo ficou com 85 pontos. As seis obras mencionadas da editora Mino somaram 71 pontos. O quinto lugar no ranking de editora ficou com a todavia, com 70 pontos. Devir (53 pontos), La Gougoutte (52 pontos), DarkSide Books (45 pontos), Pipoca & Nanquim (37 pontos), Escória Comix (30 pontos) e Panini Comics (30 pontos e a liderança no número de títulos, com oito quadrinhos), fecham o top 10 dos selos.

No total, foram mencionadas 78 HQs. Os rankings individuais de cada um dos jurados estão disponíveis aqui. Os 20 quadrinhos mais bem colocados na soma dos rankings e as demais obras listadas constam a seguir.

A cerimônia de entrega dos troféus do Grampo 2018 foi realizada na loja da Ugra, em São Paulo, no dia 3 de fevereiro, com a presença de Rafael Coutinho (Grampo de Bronze por Mensur), Rogério de Campos (editor de Angola Janga, de Marcelo S’Salete, vencedor do Grampo de Ouro) e Emílio Fraia (editor da Companhia das Letras e de Aqui, de Richard McGuire, vencedor do Grampo de Prata)

1) Angola Janga – Uma História de Palmares (Veneta), por Marcelo D’Salete [158 pontos];

Com uma pontuação espetacular e aparecendo em 18 das 20 listas, Angola Janga – Uma História de Palmares ficou com o Grampo de Ouro 2018. A obra apresenta o resultado de uma pesquisa histórica e visual de mais de uma década a que Marcelo D’Salete se dedicou (sendo Cumbe outra obra surgida dessa investigação). D’Salete narra histórias de Palmares, aproveitando brechas dos fatos históricos pra adicionar ficção, entregando narrativas que contam a luta dos escravizados, tornando Angola Janga uma espécie de épico moderno. Fazia tempo que não se via um livro dessa magnitude em quadrinhos.

Votaram (a seguir, os nomes dos eleitores da obra com as posições do título em seus respectivos rankings): Carlos Neto (1º), Carol Ito (2º), Cecília Arbolave (4º), Daniel Lopes (2º) , Daniela Cantuária P. Utescher (1º), Dandara Palankof (2º), Liber Paz (3º), Lielson Zeni (2º), Luciana Foraciepe (1º), Maria Clara Carneiro (2º), Milena Azevedo (1º), Mitie Taketani (1º), Paulo Cecconi (1º), Paulo Floro (1º), Ramon Vitral (3º), Raquel Moritz (8º), Sérgio Chaves (1º) e Thiago Borges (4º).

2) Aqui (Cia das Letras), por Richard McGuire (tradução: Érico Assis) [106 pontos];

O Grampo de Prata 2018 vai para o inventivo Aqui, de Richard McGuire. Essa é outra obra que precisou de anos de trabalho (25!) para chegar a sua forma final. Surgida como uma história curta de 6 páginas na revista norte-americana Raw, a sua versão expandida não perde força na investigação da memória e do tempo de forma extremamente adequada à linguagem dos quadrinhos. Essa forma bastante particular serve a apresentação de tocantes histórias de pessoas que passam diante dos olhos do leitor em um mesmo espaço (quase sempre um canto de sala). Por levar a noção de espaço-tempo para um ponto da linguagem que sempre esteve ali, mas ninguém ainda tinha feito, Aqui é uma obra que merece ser pensada, relida e discutida por todos os interessados em histórias em quadrinhos.

Votaram: Carlos Neto (9º), Cecília Arbolave (1º), Daniel Lopes (1º), Dandara Palankof (1º), Lielson Zeni (1º), Maria Clara Carneiro (4º), Milena Azevedo (6º), Mitie Taketani (6º), Paulo Cecconi (2º), Paulo Floro (2º), Ramon Vitral (1º), Sérgio Chaves (2º) e Thiago Borges (1º).

3) Mensur (Cia das Letras), por Rafael Coutinho [83 pontos];

O Grampo de Bronze 2018, Mensur, tem em comum com as duas outras obras premiadas o tempo de pesquisa e produção, pois Rafael Coutinho dedicou sete anos às páginas de Mensur. Em uma habilidosa mistura de duelo alemão de espadas com a cultura de fraternidades das faculdades brasileiras, Coutinho apresenta o personagem Gringo, que como o nome indica, não pertence a lugar nenhum. O leitor acompanha as andanças do personagem através do traço curvilíneo e de páginas dinâmicas, que simulam a dança das lutas e as viagens de Gringo de forma justa (e linda) aos quadrinhos.

Votaram: Cecília Arbolave (3º), Dandara Palankof (3º), Érico Assis (1º), Liber Paz (1º), Lielson Zeni (5º), Maria Clara Carneiro (1º), Milena Azevedo (7º), Paulo Cecconi (4º), Paulo Floro (4º), Ramon Vitral (6º), Thiago Borges (3º).

4) Paciência (Nemo), por Daniel Clowes (tradução: Jim Anotsu) [75 pontos];

Votaram: Carlos Neto (3º), Daniel Lopes (5º), Dandara Palankof (4º), Daniela Cantuária P. Utescher (4º), Mitie Taketani (4º), Paulo Cecconi (7º), Paulo Floro (3º), Ramon Vitral (2º), Sérgio Chaves (4º) e Thiago Borges (6º).

5) Sem Dó (todavia), por Luli Penna [59 pontos];

Votaram: Cecília Arbolave (8º), Daniela Cantuária P. Utescher (6º), Liber Paz (5º), Lielson Zeni (3º), Maria Clara Carneiro (3º), Mitie Taketani (6º), Paulo Cecconi (8º), Paulo Floro (6º), Ramon Vitral (7º), Sérgio Chaves (5º) e Thiago Borges (5º).

6) Estudante de Medicina (Veneta), por Cynthia B. [37 pontos];

Votaram: Cecília Arbolave (9º), Daniela Cantuária P. Utescher (5º), Dandara Palankof (6º), Liber Paz (10º), Luciana Foraciepe (2º), Maria Clara Carneiro (7º), Paulo Floro (5º) e Sérgio Chaves (7º).

7) O Homem que Passeia (Devir), por Jiro Taniguchi (tradução: Arnaldo Oka) [32 pontos];

Votaram: Daniel Lopes (8º), Érico Assis (2º), Larissa Martina (9º), Lielson Zeni (4º), Milena Azevedo (8º) e Mitie Taketani (3º).

8) Alho Poró (La Gougotte), por Bianca Pinheiro [28 pontos];

Votaram: Carol Ito (1º), Érico Assis (9º), Liber Paz (4º), Lielson Zeni (8º), Paulo Cecconi (6º) e Ramon Vitral (9º).

9) Úlcera Vórtex (Escória Comix), por Victor Bello [24 pontos];

Votaram: Daniela Cantuária P. Utescher (9º), Luciana Foraciepe (4º), Ramon Vitral (5º) e Thiago Borges (2º).

10) Akira – Volume 1 (JBC), por Katsuhiro Otomo (tradução: Drik Sada) [23 pontos];

Votaram: Daniel Lopes (9º), Dandara Palankof (5º), Larissa Martina (5º), Milena Azevedo (3º) e Paulo Cecconi (10º).

10) Black Hole (DarkSide Books), por Charles Burns (tradução: Daniel Pellizzari) [23 pontos];

Votaram: Carlos Neto (4º), Daniel Lopes (4º) e Larissa Martina (2º);

10) Boxe (La Gougotte), por Alexandre S. Lourenço [23 pontos];

Votaram: Daniela Cantuária P. Utescher (7º), Érico Assis (5º), Liber Paz (8º), Mitie Taketani (9º), Paulo Floro (7º) e Thiago Borges (7º).

13) Meu Amigo Dahmer (DarkSide Books), por Derf Backderf (tradução: Érico Assis) [22 pontos];

Votaram: Daniela Cantuária P. Utescher (3º), Larissa Martina (7º), Milena Azevedo (10º), Paulo Cecconi (3º) e Paulo Floro (10º).

13) Sshhhh! (Mino), por Jason [22 pontos];

Votaram: Cecília Arbolave (2º), Dandara Palankof (7º) e Liber Paz (2º).

15) O Maestro, O Cuco e A Lenda (Texugo Editora), por Wagner Willian [21 pontos];

Votaram: Carlos Neto (7º), Cecília Arbolave (5º), Liber Paz (9º), Paulo Floro (9º) e Ramon Vitral (4º).

16) Condado de Essex (Mino) por Jeff Lemire (tradução: Dandara Palankof) [20 pontos];

Votaram: Larissa Martina (8º), Milena Azevedo (2º) e Raquel Moritz (3º).

17) Rugas (Devir), por Paco Roca (adaptação: Leandro Luigi) [16 pontos];

Votaram: Carlos Neto (5º), Daniel Lopes (6º) e Sérgio Chaves (6º).

18) Labirinto (Mino), por Thiago Souto [14 pontos];

Votaram: Carlos Neto (8º), Daniela Cantuária P. Utescher (2º) e Milena Azevedo (9º).

19) Um Pequeno Assassinato (Pipoca & Nanquim), por Alan Moore e Oscar Zarate (tradução: Marília Toledo) [13 pontos];

Votaram: Liber Paz (6º), Milena Azevedo (5º), Paulo Cecconi (9º).

19) Moby Dick (Pipoca & Nanquim), por Chabouté (tradução: Pedro Bouça) [13 pontos];

Votaram: Larissa Martina (4º), Raquel Moritz (7º) e Sérgio Chaves (9º).

Outras HQs listadas pelos jurados do Prêmio Grampo 2018: Acrobata (Independente), por Cris Peter e Ariana Rauber; Ainda Ontem (Piqui), por Taís Koshino; Baiacu (todavia), por vários (edição: Laerte e Angeli); Bar (Mino), por O Miolo Frito; O Barril Mágico de Lena Finkle (WMF Martins Fontes), por Anya Ulinich (tradução: Érico Assis); Beasts of Burden – Rituais Animais (Pipoca & Nanquim), por Evan Dorkin e Jill Thompson (tradução: Marília Toledo); Blacksad – Algum Lugar em Meio às Sombras (Sesi-SP), por Juan Diáz Canales e Juanjo Guarnido (tradução: Miguel Del Castill); Billie Holiday (Mino), por José Muñoz e Carlos Sampayo (tradução: Maria Clara Carneiro); O Bulevar dos Sonhos Perdidos (todavia), por Kim Deitch (tradução: Maria Clara Carneiro); Canção de Ada (Independente), por Samanta Floor; Chico Bento – Arvorada (Panini), por Orlandeli; Coletânea FLUP HQ Vol. 2: Cidade de Deus – 50 Anos (FLUP), por vários; Coração Partido (Sapata Press), por Ellie Irineu; Coresntein (Independente), por Cora Ottoni; Diastrofismo Humano (Veneta), por Gilbert Hernandez (tradução: Cris Siqueira); Dylan Dog #1 – Retorno ao Crepúsculo (Lorentz), por Tiziano Sclavi, Giuseppe Montanari e Ernesto Grassani (tradução: Júlio Schneider); Dylan Dog #2 – Manchas Solares (Lorentz), por Pasquale Ruju & Bruno Brindisi (tradução: Júlio Schneider); Eu Quero Acreditar (Beleléu), por Caio Gomez; Gastrite Nervosa (Independente), por Lovelove 6; Gus (Vol. 2 e 3) (Sesi-SP), por Christophe Blain (tradução: Fernando Paz); Ghost World (Nemo), por Daniel Clowes (tradução: Érico Assis); A Herança Becker (Zarabatana), por Magno Costa e Marcelo Costa; Holandeses (Veneta), por André Toral; Ilha de São Galalau (Independente), por André Valente; A Infância do Brasil (Avec), por José Aguiar; Inuyashiki #1 – #4 (Panini), por Hiroya Oku (tradução: Lídia Ivasa); Já Era (Lote 42), por Felipe Parucci; Kung-Fu Ganja – Volume 1 (Tapas), por Davi Calil; Os Limites do Walmor (Maria Nanquim), por Bruno Maron e Ricardo Coimbra; Linha do Trem – The Best of (Draco), por Raphael Salimena; Market Garden (Mino), por Bruno Seelig; O Melhor Que Podíamos Fazer (Nemo), por Thi Bui (tradução: Fernando Scheibe); Meu Macanudismo (Bebel Books), por André Valente; A Minha Depressão (Reva), por Elizabeth Swados (tradução: Christiano Brito Engman); Mulher-Maravilha: Renascimento (Panini), por Greg Rucka, Matthew Clark, Sean Parsons e Liam Sharp (tradução: Mario Luiz C. Barroso); Não Era Você que Eu Esperava (Nemo), por Fabien Toulmé (tradução: Fernando Scheibe); Não Tenho Uma Arma (Independente), Roger Vieira; Neo Cortex (Bebel Books), por Bárbara Malagoli; Nóia – Uma História de Vingança (Escória Comix), por Diego Gerlach; Noite das Trevas – Uma História Real do Batman (Panini), por Paul Dini e Eduardo Risso (tradução: Eric Novello e Levi Trindade); Paper Girls – Vol. 1 (Devir), por Brian K. Vaughan e Cliff Chiang (tradução: Kleber Ricardo de Sousa); As Pessoas São Frágeis e Ignorantes (Independente), por Lovelove 6; Pluto #1 (Panini), por Naoki Urasawa (tradução: Diógenes Diogo); Promethea – Volume 2 (Panini), por Alan Moore e J.H. Williams III (tradução: Óctávio Aragão/Fabiano Denardin); Reparos (Independente), por Brão Barbosa; Rosa Vermelha (WMF Martins Fontes), por Kate Evans (tradução: Marcelo Brandão); Síncope (Independente), por Aline Zouvi; Soco – Vol. 1 (Beleléu), por Gabriel Góes; Tablóide (Veneta), por L. M. Melite; Terreno (Independente), por Paulo Crumbim; Ugrito #11: Culpa (Ugra Press), por Cristina Eiko; Ugrito #12: Arracém (Ugra Press), por Diego Gerlach; Ugrito #14: Rommates, Mórbida Diferença (Ugra Press), por Bruno Maron; Um Ano Inteiro (Independente), por Galvão Bertazzi; Uma Bolota Molenga e Feliz (Seguinte), por Sarah Andersen (tradução: André Czarbonai); Viúva Negra (Panini), por Mark Waid e Chris Samnee (tradução: Leonardo Kitstune Camargo); O Xerife da Babilônia (Panini), por Tom King & Mitch Gerards (tradução: Levi Trindade); Wilson Lanchão (Escória Comix), por Lobo Ramirez.

HQ

– Prêmio Grampo 2018 de Grandes HQs – Os 20 rankings dos eleitores convidados

Foram 20 eleitores convidados para votar no Prêmio Grampo 2018. A regra era simples: cada um deveria enviar um ranking com o seus 10 quadrinhos preferidos publicados no Brasil entre os dias 1º de janeiro e 31 de dezembro de 2017 – incluindo republicações (títulos que já tenham sido lançadas no Brasil anteriormente, mas que apareçam em novo formato editorial). A regra de ouro era que os jurados não votassem em suas próprias obras ou naquelas em que trabalharam (edição, tradução, revisão, diagramação, paratextos etc). O primeiro colocado de cada ranking recebeu 10 pontos, o segundo nove, o terceiro oito e assim por diante até o 10º com 1 ponto. Foram 78 obras listadas. Os títulos mais citados e mais bem colocados no ranking geral foram divulgados aqui. A seguir, as listas individuais:

Carlos Neto
[jornalista e apresentador do Papo Zine];

1- Angola Janga – Uma História de Palmares (Veneta), por Marcelo D’Salete;
2- Não Era Você que Eu Esperava (Nemo), por Fabien Toulmé (tradução: Fernando Scheibe);
3- Paciência (Nemo), por Daniel Clowes (tradução: Jim Anotsu);
4- Black Hole (DarkSide Books), por Charles Burns (tradução: Daniel Pellizzari);
5- Rugas (Devir), por Paco Roca (adaptação: Leandro Luigi);
6- A Herança Becker (Zarabatana), por Magno Costa e Marcelo Costa;
7- O Maestro, O Cuco e A Lenda (Texugo Editora), por Wagner Willian;
8- Labirinto (Mino), por Thiago Souto;
9- Aqui (Cia das Letras), por Richard McGuire (tradução: Érico Assis);
10- Nóia – Uma História de Vingança (Escória Comix), por Diego Gerlach.

Carol Ito
[jornalista, quadrinista, pesquisadora de quadrinhos e coordenadora da página Políticas];

1- Alho Poró (La Gougotte), por Bianca Pinheiro;
2- Angola Janga – Uma História de Palmares (Veneta), por Marcelo D’Salete;
3- Coletânea FLUP HQ Vol. 2: Cidade de Deus – 50 Anos (FLUP), por vários;
4- Ainda Ontem (Piqui), por Taís Koshino;
5- Ugrito #11: Culpa (Ugra Press), por Cristina Eiko;
6- Síncope (Independente), por Aline Zouvi;
7- Neo Cortex (Bebel Books), por Bárbara Malagoli;
8- Gastrite Nervosa (Independente), por Lovelove 6;
9- Coração Partido (Sapata Press), por Ellie Irineu;
10- Coresntein (Independente), por Cora Ottoni.

Cecilia Arbolave
[sócia e editora da Lote 42];

1- Aqui (Cia das Letras), por Richard McGuire (tradução: Érico Assis);
2- Sshhhh! (Mino), por Jason;
3- Mensur (Cia das Letras), por Rafael Coutinho;
4- Angola Janga – Uma História de Palmares (Veneta), por Marcelo D’Salete;
5- O Maestro, O Cuco e A Lenda (Texugo Editora), por Wagner Willian;
6- Os Limites do Walmor (Maria Nanquim), por Bruno Maron e Ricardo Coimbra;
7- Bar, d’O Miolo Frito (Editora Mino);
8- Sem Dó (todavia), por Luli Penna;
9- Estudante de Medicina (Veneta), por Cynthia B.;
10- A Minha Depressão (Reva), por Elizabeth Swados (tradução: Christiano Brito Engman).

Daniel Lopes
[editor de quadrinhos e apresentador do Pipoca e Nanquim];

1- Aqui (Cia das Letras), por Richard McGuire (tradução: Érico Assis);
2- Angola Janga – Uma História de Palmares (Veneta), por Marcelo D’Salete;
3- Promethea – Volume 2 (Panini), por Alan Moore e J.H. Williams III (tradução: Óctávio Aragão/Fabiano Denardin);
4- Black Hole (DarkSide Books), por Charles Burns (tradução: Daniel Pellizzari);
5- Paciência (Nemo), por Daniel Clowes (tradução: Jim Anotsu);
6- Rugas (Devir), por Paco Roca (adaptação: Leandro Luigi);
7- Billie Holiday (Mino), por José Muñoz e Carlos Sampayo (tradução: Maria Clara Carneiro);
8- O Homem que Passeia (Devir), por Jiro Taniguchi (tradução: Arnaldo Oka);
9- Akira – Volume 1 (JBC), por Katsuhiro Otomo (tradução: Drik Sada);
10- Noite das Trevas – Uma História Real do Batman (Panini), por Paul Dini e Eduardo Risso (tradução: Eric Novello e Levi Trindade).

Daniela Cantuária P. Utescher
[sócia e editora da Ugra Press];

1- Angola Janga – Uma História de Palmares (Veneta), por Marcelo D’Salete;
2- Labirinto (Mino), por Thiago Souto;
3- Meu Amigo Dahmer (DarkSide Books), por Derf Backderf (tradução: Érico Assis);
4- Paciência (Nemo), por Daniel Clowes (tradução: Jim Anotsu);
5- Estudante de Medicina (Veneta), por Cynthia B.;
6- Sem Dó (todavia), por Luli Penna;
7- Boxe (La Gougotte), por Alexandre S. Lourenço;
8- Tablóide (Veneta), por L. M. Melite;
9- Úlcera Vórtex (Escória Comix), por Victor Bello;
10- Terreno (Independente), por Paulo Crumbim.

Dandara Palankof
[jornalista, pesquisadora, tradutora de HQs e uma das editoras da Plaf];

1- Aqui (Cia das Letras), por Richard McGuire (tradução: Érico Assis);
2- Angola Janga – Uma História de Palmares (Veneta), por Marcelo D’Salete;
3- Mensur (Cia das Letras), por Rafael Coutinho;
4- Paciência (Nemo), por Daniel Clowes (tradução: Jim Anotsu);
5- Akira – Volume 1 (JBC), por Katsuhiro Otomo (tradução: Drik Sada);
6- Estudante de Medicina (Veneta), por Cynthia B.;
7- Sshhhh! (Mino), por Jason;
8- Dylan Dog #2 – Manchas Solares (Lorentz), por Pasquale Ruju & Bruno Brindisi (tradução: Júlio Schneider);
9- Mulher-Maravilha: Renascimento (Panini), por Greg Rucka, Matthew Clark, Sean Parsons e Liam Sharp (tradução: Mario Luiz C. Barroso);
10- Não Tenho Uma Arma (Independente), Roger Vieira.

Érico Assis
[jornalista, tradutor e pesquisador de quadrinhos, editor do A Pilha];

1- Mensur (Cia das Letras), por Rafael Coutinho;
2- O Homem que Passeia (Devir), por Jiro Taniguchi (tradução: Arnaldo Oka);
3- Gus (Vol. 2 e 3) (Sesi-SP), por Christophe Blain (tradução: Fernando Paz);
4- Pluto #1 (Panini), por Naoki Urasawa e Takashi Nagaski (tradução: Diógenes Diogo)
5- Boxe (La Gougotte), por Alexandre S. Lourenço;
6- O Xerife da Babilônia (Panini), por Tom King & Mitch Gerards (tradução: Levi Trindade);
7- Viúva Negra (Panini), por Mark Waid e Chris Samnee (tradução: Leonardo Kitstune Camargo);
8- Inuyashiki #1 – #4 (Panini), por Hiroya Oku (tradução: Lídia Ivasa);
9- Alho Poró (La Gougotte), por Bianca Pinheiro;
10- Uma Bolota Molenga e Feliz (Seguinte), por Sarah Andersen (tradução: André Czarbonai).

Larissa Martina
[proprietária da RV Cultura e Arte];

1- Blacksad – Algum Lugar em Meio às Sombras (Sesi-SP), por Juan Diáz Canales e Juanjo Guarnido (tradução: Miguel Del Castill);
2- Black Hole (DarkSide Books), por Charles Burns (tradução: Daniel Pellizzari);
3- Dylan Dog #1 – Retorno ao Crepúsculo (Lorentz), por Tiziano Sclavi, Giuseppe Montanari e Ernesto Grassani (tradução: Júlio Schneider);
4- Moby Dick (Pipoca & Nanquim), por Chabouté (tradução: Pedro Bouça);
5- Akira – Volume 1 (JBC), por Katsuhiro Otomo (tradução: Drik Sada);
6- Paper Girls – Vol. 1 (Devir), por Brian K. Vaughan e Cliff Chiang (tradução: Kleber Ricardo de Sousa);
7- Meu Amigo Dahmer (DarkSide Books), por Derf Backderf (tradução: Érico Assis);
8- Condado de Essex (Mino) por Jeff Lemire (tradução: Dandara Palankof);
9- O Homem que Passeia (Devir), por Jiro Taniguchi (tradução: Arnaldo Oka);
10- Chico Bento – Arvorada (Panini), por Orlandeli;

Liber Paz
[quadrinista, pesquisador, professor universitário e membro do Balbúrdia];

1- Mensur (Cia das Letras), por Rafael Coutinho;
2- Sshhhh! (Mino), por Jason;
3- Angola Janga – Uma História de Palmares (Veneta), por Marcelo D’Salete;
4- Alho Poró (La Gougotte), por Bianca Pinheiro;
5- Sem Dó (todavia), por Luli Penna;
6- Um Pequeno Assassinato (Pipoca & Nanquim), por Alan Moore e Oscar Zarate (tradução: Marília Toledo);
7- O Bulevar dos Sonhos Perdidos (todavia), por Kim Deitch (tradução: Maria Clara Carneiro);
8- Boxe (La Gougotte), por Alexandre S. Lourenço;
9- O Maestro, O Cuco e A Lenda (Texugo Editora), por Wagner Willian;
10- Estudante de Medicina (Veneta), por Cynthia B.;

Lielson Zeni
[editor, pesquisador, roteirista de quadrinhos e membro do Balbúrdia];

1- Aqui (Cia das Letras), por Richard McGuire (tradução: Érico Assis);
2- Angola Janga – Uma História de Palmares (Veneta), por Marcelo D’Salete;
3- Sem Dó (todavia), por Luli Penna;
4- O Homem que Passeia (Devir), por Jiro Taniguchi (tradução: Arnaldo Oka);
5- Mensur (Cia das Letras), por Rafael Coutinho;
6- Ghost World (Nemo), por Daniel Clowes (tradução: Érico Assis);
7- Ilha de São Galalau (Independente), por André Valente;
8- Alho Poró (La Gougotte), por Bianca Pinheiro;
9- Os Limites do Walmor (Maria Nanquim), por Bruno Maron e Ricardo Coimbra;
10- Um Ano Inteiro (Independente), por Galvão Bertazzi.

Luciana Foraciepe
[editora da Maria Nanquim];

1- Angola Janga – Uma História de Palmares (Veneta), por Marcelo D’Salete;
2- Estudante de Medicina (Veneta), por Cynthia B.;
3- Ugrito #14: Roomates, Mórbida Diferença (Ugra Press), por Bruno Maron;
4- Úlcera Vórtex (Escória Comix), por Victor Bello;
5- Wilson Lanchão (Escória Comix), por Lobo Ramirez;
6- Eu Quero Acreditar (Beleléu), por Caio Gomez;
7- Linha do Trem – The Best of (Draco), por Raphael Salimena;
8- Bar (Mino), por O Miolo Frito;
9- Síncope (Independente), por Aline Zouvi;
10- Soco – Vol. 1 (Beleléu), por Gabriel Góes.

Maria Clara Carneiro
[tradutora, pesquisadora de HQs, professora universitária e membro do Balbúrdia];

1- Mensur (Cia das Letras), por Rafael Coutinho;
2- Angola Janga – Uma História de Palmares (Veneta), por Marcelo D’Salete;
3- Sem Dó (todavia), por Luli Penna;
4- Aqui (Cia das Letras), por Richard McGuire (tradução: Érico Assis);
5- Tablóide (Veneta), por L. M. Melite;
6- O Barril Mágico de Lena Finkle (WMF Martins Fontes), por Anya Ulinich (tradução: Érico Assis);
7- Estudante de Medicina (Veneta), por Cynthia B.;
8- Meu Macanudismo (Bebel Books), por André Valente;
9- Baiacu (todavia), por vários (edição: Laerte e Angeli);
10- Um Ano Inteiro (Independente), por Galvão Bertazzi.

Milena Azevedo
[roterista de quadrinhos e integrante do selo Pagu Comics, da Editora Cândido];

1- Angola Janga – Uma História de Palmares (Veneta), por Marcelo D’Salete;
2- Condado de Essex (Mino) por Jeff Lemire (tradução: Dandara Palankof);
3- Akira – Volume 1 (JBC), por Katsuhiro Otomo (tradução: Drik Sada);
4- A Infância do Brasil (Avec), por José Aguiar;
5- Um Pequeno Assassinato (Pipoca & Nanquim), por Alan Moore e Oscar Zarate (tradução: Marília Toledo);
6- Aqui (Cia das Letras), por Richard McGuire (tradução: Érico Assis);
7- Mensur (Cia das Letras), por Rafael Coutinho;
8- O Homem que Passeia (Devir), por Jiro Taniguchi (tradução: Arnaldo Oka);
9- Labirinto (Mino), por Thiago Souto;
10- Meu Amigo Dahmer (DarkSide Books), por Derf Backderf (tradução: Érico Assis).

Mitie Taketani
[proprietária de Itiban Comic Shop];

1- Angola Janga – Uma História de Palmares (Veneta), por Marcelo D’Salete;
2- Holandeses (Veneta), por André Toral;
3- O Homem que Passeia (Devir), por Jiro Taniguchi (tradução: Arnaldo Oka);
4- Paciência (Nemo), por Daniel Clowes (tradução: Jim Anotsu);
5- Aqui (Cia das Letras), por Richard McGuire (tradução: Érico Assis);
6- Sem Dó (todavia), por Luli Penna;
7- O Melhor Que Podíamos Fazer (Nemo), por Thi Bui (tradução: Fernando Scheibe);
8- Market Garden (Mino), por Bruno Seelig;
9- Boxe (La Gougotte), por Alexandre S. Lourenço;
10- Baiacu (todavia), por vários (edição: Laerte e Angeli).

Paulo Cecconi
[tradutor de quadrinhos e membro do Balbúrdia];

1- Angola Janga – Uma História de Palmares (Veneta), por Marcelo D’Salete;
2- Aqui (Cia das Letras), por Richard McGuire (tradução: Érico Assis);
3- Meu Amigo Dahmer (DarkSide Books), por Derf Backderf (tradução: Érico Assis);
4- Mensur (Cia das Letras), por Rafael Coutinho;
5- O Bulevar dos Sonhos Perdidos (todavia), por Kim Deitch (tradução: Maria Clara Carneiro);
6- Alho Poró (La Gougotte), por Bianca Pinheiro;
7- Paciência (Nemo), por Daniel Clowes (tradução: Jim Anotsu);
8- Sem Dó (todavia), por Luli Penna;
9- Um Pequeno Assassinato (Pipoca & Nanquim), por Alan Moore e Oscar Zarate (tradução: Marília Toledo);
10- Akira – Volume 1 (JBC), por Katsuhiro Otomo (tradução: Drik Sada).

Paulo Floro
[jornalista e pesquisador de quadrinhos, um dos editores da Revista O Grito! e da revista Plaf];

1- Angola Janga – Uma História de Palmares (Veneta), por Marcelo D’Salete;
2- Aqui (Cia das Letras), por Richard McGuire (tradução: Érico Assis);
3- Paciência (Nemo), por Daniel Clowes (tradução: Jim Anotsu);
4- Mensur (Cia das Letras), por Rafael Coutinho;
5- Estudante de Medicina (Veneta), por Cynthia B.;
6- Sem Dó (todavia), por Luli Penna;
7- Boxe (La Gougotte), por Alexandre S. Lourenço;
8- Beasts of Burden – Rituais Animais (Pipoca & Nanquim), por Evan Dorkin e Jill Thompson (tradução: Marília Toledo);
9- O Maestro, O Cuco e A Lenda (Texugo Editora), por Wagner Willian;
10- Meu Amigo Dahmer (DarkSide Books), por Derf Backderf (tradução: Érico Assis).

Ramon Vitral
[jornalista e editor do Vitralizado];

1- Aqui (Cia das Letras), por Richard McGuire (tradução: Érico Assis);
2- Paciência (Nemo), por Daniel Clowes (tradução: Jim Anotsu);
3- Angola Janga – Uma História de Palmares (Veneta), por Marcelo D’Salete;
4- O Maestro, O Cuco e A Lenda (Texugo Editora), por Wagner Willian;
5- Úlcera Vórtex (Escória Comix), por Victor Bello;
6- Mensur (Cia das Letras), por Rafael Coutinho;
7- Sem Dó (todavia), por Luli Penna;
8- Terreno (Independente), por Paulo Crumbim;
9- Alho Poró (La Gougotte), por Bianca Pinheiro;
10- Ugrito #11: Culpa (Ugra Press), por Cristina Eiko.

Raquel Moritz
[editora, publicitária e apresentadora do Pipoca Musical];

1- Reparos (Independente), por Brão Barbosa;
2- Beasts of Burden – Rituais Animais (Pipoca & Nanquim), por Evan Dorkin e Jill Thompson (tradução: Marília Toledo);
3- Condado de Essex (Mino) por Jeff Lemire (tradução: Dandara Palankof);
4- Canção de Ada (Independente), por Samanta Floor;
5- Acrobata (Independente), por Cris Peter e Ariana Rauber;
6- Já Era (Lote 42), por Felipe Parucci;
7- Moby Dick (Pipoca & Nanquim), por Chabouté (tradução: Pedro Bouça);
8- Angola Janga – Uma História de Palmares (Veneta), por Marcelo D’Salete;
9- Rosa Vermelha (WMF Martins Fontes), por Kate Evans (tradução: Marcelo Brandão);
10- Kung-Fu Ganja – Volume 1 (Tapas), por Davi Calil.

Sérgio Chaves
[produtor editorial e roteirista de quadrinhos, editor da Café Espacial];

1- Angola Janga – Uma História de Palmares (Veneta), por Marcelo D’Salete;
2- Aqui (Cia das Letras), por Richard McGuire (tradução: Érico Assis);
3- Diastrofismo Humano (Veneta), por Gilbert Hernandez (tradução: Cris Siqueira);
4- Paciência (Nemo), por Daniel Clowes (tradução: Jim Anotsu);
5- Sem Dó (todavia), por Luli Penna;
6- Rugas (Devir), por Paco Roca (adaptação: Leandro Luigi);
7- Estudante de Medicina (Veneta), por Cynthia B.;
8- Já Era (Lote 42), por Felipe Parucci;
9- Moby Dick (Pipoca & Nanquim), por Chabouté (tradução: Pedro Bouça);
10- Rosa Vermelha (WMF Martins Fontes), por Kate Evans (tradução: Marcelo Brandão).

Thiago Borges
[jornalista, editor do O Quadro e o Risco].

1- Aqui (Cia das Letras), por Richard McGuire (tradução: Érico Assis);
2- Úlcera Vórtex (Escória Comix), por Victor Bello;
3- Mensur (Cia das Letras), por Rafael Coutinho;
4- Angola Janga – Uma História de Palmares (Veneta), por Marcelo D’Salete;
5- Sem Dó (todavia), por Luli Penna;
6- Paciência (Nemo), por Daniel Clowes (tradução: Jim Anotsu);
7- Boxe (La Gougotte), por Alexandre S. Lourenço;
8- As Pessoas São Frágeis e Ignorantes (Independente), por Lovelove 6;
9- Ugrito #12: Arrecém (Ugra Press), por Diego Gerlach;
10- O Barril Mágico de Lena Finkle (WMF Martins Fontes), por Anya Ulinich (tradução: Érico Assis).

HQ

– Prêmio Grampo 2018 de Grandes HQs – Os nomes dos 20 jurados da premiação

O Prêmio Grampo surgiu em 2016 inspirado na saudosa votação de melhores do ano do blog Gibizada, do jornalista Télio Navega, no jornal O Globo. Assim como ele fazia, eu e os editories do Balbúrdia, Lielson Zeni e Maria Clara Carneiro, convidamos várias pessoas envolvidas de diferentes formas na cena brasileira de quadrinhos a produzirem rankings com aqueles que elas consideram os 10 melhores títulos publicados no país no ano anterior. A ideia é que esse júri passe por mudanças pontuais a cada ano. De 2017 para o de 2018, foram convidados seis jurados que participam pela primeira vez da votação.

Assim como em 2016 e 2017, para a edição de 2018 chamamos 20 pessoas entre quadrinistas, editores, pesquisadores, jornalistas e lojistas. A lista final com os 10 títulos mais votados e vencedores dos Grampos de Ouro, Prata e Bronze serão revelados no sábado (3/2), a partir das 15h, no Dia do Quadrinho Nacional na Ugra. No domingo (4/2) você encontrará por aqui e no Balbúrdia os rankings individuais de cada um dos jurados e a lista completa com todos os títulos votados. Por enquanto, apresentamos os nossos 20 jurados de 2018:

Carlos Neto [jornalista e apresentador do Papo Zine];
Carol Ito [jornalista, quadrinista, pesquisadora de quadrinhos e coordenadora da página Políticas];
Cecilia Arbolave [sócia e editora da Lote 42];
Daniel Lopes [editor de quadrinhos e apresentador do Pipoca e Nanquim];
Daniela Cantuária P. Utescher [sócia e editora da Ugra Press];
Dandara Palankof [jornalista, pesquisadora e tradutora de HQs];
Érico Assis [jornalista, tradutor e pesquisador de quadrinhos, editor do A Pilha];
Larissa Martina [proprietária da RV Cultura e Arte];
Liber Paz [quadrinista, pesquisador, professor universitário e membro do Balbúrdia];
Lielson Zeni [editor, pesquisador, roteirista de quadrinhos e membro do Balbúrdia];
Luciana Foraciepe [editora da Maria Nanquim];
Maria Clara Carneiro [tradutora, pesquisadora de HQs, professora universitária e membro do Balbúrdia];
Milena Azevedo [roterista de quadrinhos e integrante do selo Pagu Comics, da Editora Cândido];
Mitie Taketani [proprietária de Itiban Comic Shop];
Paulo Cecconi [tradutor de quadrinhos e membro do Balbúrdia];
Paulo Floro [jornalista e pesquisador de quadrinhos, um dos editores da Revista O Grito! e da revista Plaf];
Ramon Vitral [jornalista e editor do Vitralizado];
Raquel Moritz [editora, publicitária e apresentadora do Pipoca Musical];
Sérgio Chaves [produtor editorial e roteirista de quadrinhos, editor da Café Espacial];
Thiago Borges [jornalista, editor do O Quadro e o Risco].

HQ

– Prêmio Grampo 2018 de Grandes HQs – O resultado final será anunciado sábado (3/2), a partir das 15h30, na Ugra!

O Prêmio Grampo 2018 de Grandes HQs já tem seus vencedores. As 10 obras mais bem votadas pelos jurados da edição de 2018 do prêmio serão reveladas no próximo sábado, dia 3 de fevereiro, a partir das 15h30, na loja da Ugra. O anúncio das três primeiras colocadas será feito por mim e na companhia virtual de Lielson Zeni e Maria Clara Carneiro, editores do Balbúrdia. Em seguida, eu bato um papo com Carol Ito, Carlos Neto e Thiago Borges, três membros do júri da premiação. Também faremos uma retrospectiva da cena brasileira de quadrinho em 2017 e algumas perspectivas para 2019.

Na edição passada do Prêmio Grampo, anunciada em janeiro de 2017, o Grampo de Ouro ficou com Bulldogma (Veneta), de Wagner Willian; Você é Um Babaca, Bernardo (Mino), de Alexandre S. Lourenço, levou o Grampo de Prata; e Desconstruindo Una (Nemo), da quadrinista britânica Una ganhou o Grampo de Bronze. Em 2016, Ouro, Prata e Bronze ficaram, respectivamente, com Aventuras na Ilha do Tesouro (Mino), de Pedro Cobiaco); Talco de Vidro (Veneta), de Marcello Quintanilha; e Dupin (Zarabatana), de L.M. Melite.

O Grampo é um esforço conjunto Vitralizado/Balbúrdia para registrar um período ímpar na história dos quadrinhos publicados no Brasil a partir da avaliação de alguns de seus personagens. A dinâmica da votação continua a mesma dos últimos dois anos: cada um dos jurados enviou um ranking com seus 10 trabalhos preferidos. O primeiro colocado de cada ranking recebeu 10 pontos, o segundo nove, o terceiro oito e assim por diante até o 10º com 1 ponto. Depois de amanhã, 5ª (1/2), anunciarei com o pessoal do Balbúrdia os nomes dos membros do júri do Grampo 2018. Enquanto isso, deixo a pergunta: qual você considera o melhor quadrinho publicado no Brasil em 2018?

PS: a arte do logo do prêmio é do Jairo! valeu outra vez, cara!

HQ

Sábado (3/2) é Dia do Quadrinho Nacional na Ugra, com o anúncio dos vencedores do Prêmio Grampo 2018

Deixo aqui o convite: no próximo sábado (3/2) rola o já tradicional Dia do Quadrinho Nacional da loja da Ugra, aqui em São Paulo. Eu e os meus amigos do Balbúrdia vamos aproveitar a oportunidade para anunciar por lá os vencedores da edição de 2018 do Prêmio Grampo. Junto comigo, pra conversar sobre o resultado do Grampo e fazer uma retrospectiva das HQs publicadas no Brasil em 2017, estarão Carol Ito, Carlos Neto e Thiago Borges – os três também jurados do Grampo em 2018 e responsáveis por excelentes coberturas da cena brasileira de quadrinhos nos últimos anos.

O papo tá marcado pra começar às 15h30, já com o anúncio dos quadrinhos vencedores do prêmio e depois ficaremos trocando ideia por lá até quando render. Lembrando que a Ugra fica na loja 116 do número 1371 da Rua Augusta. Você confere outras informações sobre essa festa toda lá na página do evento no Facebook.

HQ

– Prêmio Grampo 2017 de Grandes HQs – O resultado final: as 20 HQs mais votadas

O quadrinista Wagner Willian é o vencedor do Prêmio Grampo 2017 de Grandes HQs. O álbum Bulldogma consta em 13 das 20 listas dos eleitores convidados do Grampo, tendo acumulado 89 pontos na contagem dos votos. O gibi vencedor ficou à frente de Você é Um Babaca, Bernardo de Alexandre Lourenço (75 pontos e presente em 11 rankings) e Desconstruindo Una da quadrinista britânica Una (48 pontos e presença em oito listas).

Com 10 títulos listados no somatório geral e citada 40 vezes nos 20 rankings, a editora Veneta foi a casa editorial mais presente nas listas do Grampo 2017. Nemo (seis obras e 21 menções) e Mino (três obras e 16 citações) completam o rankings de editoras. Os rankings individuais de cada um dos jurados estão disponíveis aqui. Os 20 quadrinhos mais bem colocados na soma dos rankings e as demais obras listadas constam a seguir.

Bulldogma (Veneta) é a primeira HQ longa de Wagner Willian. Com 310 páginas, o álbum foi produzido ao longo de dois anos e narra a rotina da ilustradora Deisy Mantovani. Recém-mudada para um apartamento supostamente alvo de abduções alienígenas, Deisy tenta conciliar sua rotina profissional instável e sua vida amorosa em frangalhos aos constantes acontecimentos absurdos que passam a cercar sua realidade. O quadrinho ainda resultou no blog Flerte da Mulher Barbada, posteriormente transformado em livro, com entrevistas de Deisy com quadrinistas, editores, jornalistas e empresários da cena brasileira de quadrinhos.

6-grampo2017bernardo

Você é Um Babaca, Bernardo (Mino) também é o primeiro trabalho impresso longo do quadrinista Alexandre Lourenço. O quadrinho retrata os efeitos de uma rotina banal e pouco inspirada no cotidiano de seus dois personagens, Bernardo e Gabriela. Com pouquíssimas falas ao longo de suas 132 páginas, o álbum impressiona principalmente por sua inventividade narrativa. As 12 primeiras páginas do livro, compostas de quadros aparentemente autônomos conectados apenas pela passagem do tempo na vida do monótono protagonistas, são um dos momentos mais memoráveis dos quadrinhos brasileiros nos últimos anos.

4-grampo2017una

Desconstruindo Una (Nemo, tradução Carol Christo) é uma mistura de pensata com jornalismo e histórias em quadrinhos para tratar de violência contra mulheres, questões de gênero, culpa e responsabilidade social. A autora britânica narra sua infância em uma Inglaterra extremamente conservadora e machista no final dos anos 70 para refletir sobre algumas das questões mais importantes do mundo hoje. Uma pena que a edição brasileira não conte com textos de apoio trazendo um pouco dos temas narrados para a nossa realidade. Um quadrinho atual e necessário.

–X–

4) Modelo Vivo (Boitempo), por Laerte: 42 pontos.

5) Know-Haole #4 (Vibe Tronxa Comix), por Diego Gerlach: 41 pontos.

6) Os Últimos Dias de Pompeo (Veneta), por Andrea Pazienza (tradução: Michele Vartuli): 35 pontos.

7) A Gigantesca Barba do Mal (Nemo), por Stephen Collins (tradução: Eduardo Soares) // Quadrinhos dos Anos 10 (Cia das Letras), por André Dahmer // Sharaz-De: Contos de As Mil e Uma Noites (Figura), por Sergio Toppi (tradução: Maria Clara Carneiro): 33 pontos.

10) Sopa de Lágrimas (Veneta), por Gilbert Hernandez (tradução: Marina Della Valle): 29 pontos.

11) Ruínas (Marsupial), por Peter Kuper (tradução: Érico Assis): 26 pontos.

12) Hinário Nacional (Veneta), por Marcello Quintanilha: 24 pontos.

13) Fixação por Insetos (Antílope), por DW Ribatski // O Futuro (independente), por Denny Chang // Placas Tectônicas (Nemo), por Margaux Motin (tradução: Fernando Scheibe): 23 pontos.

16) Pato Donald: Perdidos nos Andes (Abril), por Carl Barks (tradução: Marcelo Alencar): 20 pontos.

17) Sendero Luminoso: História de Uma Guerra Suja (Veneta), por Alfredo Villar, Luís Rossell e Jesús Cossio (tradução: Rogerio de Campos e Barbara Zocal): 18 pontos.

18) Ghost in the Shell (JBC), por Masamune Shirow (tradução: Drik Sada) // Nimona (Intrínseca), por Noelle Stevenson (tradução: Flora Pinheiro): 17 pontos.

20) A Agência de Viagens Lemming (Devir), por José Carlos Fernandes // Mônica – Força (Panini), por Bianca Pinheiro // O Soldador Subaquático (Mino), por Jeff Lemire (tradução: Paulo Cecconi): 16 pontos.

Outras HQs listadas pelos jurados do Prêmio Grampo 2017: (sem título) (Antílope), Mariana Paraizo; 4 Aventuras de Spirou e Fantasio (Sesi – SP), por Fraquin (tradução: Fernando Paz); Além dos Trilhos (Pingado-prés), por Mika Takahashi; Antílope #2 (Antílope), por Luis Aranguri e Victor Gáspari Canela (tradução: Luis Aranguri, Victor Gáspari Canela e Valerie Lengronne); Auto Ajuda (independente), por Felipe Parucci; Baleia 3 (independente), por Rebecca Prado; Bidu – Juntos (Panin), por Eduardo Damasceno e Luiz Felipe Garrocho; Black Silence (independente), por Mariana Cagnin; Blitzkrieg (independente), por Bruno Seelig; Carolina (Veneta), por Sirlene Barbosa e João Pinheiro; Choques Futuristas (Mythos), por Alan Moore (tradução: Pedro Bouça); Chora Lombar (Gato Preto), por Thaíz Leão; As Empoderadas (Pagu Comics), por Germana Viana; Éden – It’s a Endeless World (JBC), por Hiroki Endou (tradução: Denis Kei Kimura); O Enterro das Minhas Ex (Nemo), por Gauthier (tradução: Fernando Scheibe); Estranhos (independente), por Fefê Torquato; Fabio 46-50 (independente), por André Valente; Feto em Conserva #3 (independente), por Victor Bello; Finório (Zarabatana), por Marco Oliveira; Fullmetal Alchemist – Vol. 1 (JBC), por Hiromu Arakawa (tradução: Karen Kazumi Hayashida); Guerras Secretas #1-#9 (Panini), por Jonathan Hickman e Esad Ribic (tradução: Jotapê Martins e Paulo França); Gus – 1. Nathalia (SESI – SP), por Christophe Blain (tradução: Fernando Paz); Helter Skelter (New Pop), por Kyoko Okasaki (tradução: Denis Kei Kimura); Hídrico (Veneta), por Tiago Judas; Hip Hop Genealogia (Veneta), por Ed Piskor (tradução: Mateus Potumati); A História do Século XX (Manual do Minotauro), por Laerte; Invisíveis Vol. 8 (Panini), por Grant Morrison (tradução: Érico Assis); Jane, a Raposa, e Eu (WMF Martins Fontes), por Fanny Britt e Isabelle Arsenault (tradução: Beatrice Moreira Santos); Jornal Pimba (Pimba Press); A Liga Extraordinária – Dossiê Negro (Devir), por Alan Moore e Kevin O’Neill (tradução: Marquito Maia); Lizzie Bordello e as Piratas do Espaço #2 (independente), por Germana Viana; Matadouro de Unicórnios (Veneta), por Juscelino Neco; Mini-Infartos (Beleléu), por Gomez; Miss Marvel: Questões Mil (Panini), por G. Willow Wilson, Adrian Alphona e Jacob Wyatt (tradução: Paulo França e Rodrigo Barros); Mulher-Maravilha: Sangue (Panini), por Brian Azzarello, Cliff Chiang e Tony Akins (tradução: Mario Luiz Barroso); O Mundo de Dentro (Nemo), por Lu Cafaggi e Bruna Vieira; Na Ponta da Língua (independente), por Beliza Buzzolo; Ninguém Vira Adulto de Verdade (Seguinte), por Sarah Andersen (tradução: André Czarnobai); One Punch Man (Panini), por One e Yusuke Murata (tradução: Lidia Ivasa); Parafuso #0 (Pulo Comunicação), por Jão; Parker: A Organização (Devir), por Darwyn Cooke (tradução: Marquito Maia); Quadradinhas (independente), por Lucas Gehre; Quadrinhos A2 #5 (independente), por Paulo Crumbim e Cristina Eiko; Rasga-Mortalhas (Zarabatana), por Diogo Bercito e Pedro Vergani; Rat Queens – Vol 1: Pancadaria & Feitiçaria (Jambô), por Kurtis J Wiebe e Roc Upchurch (tradução: Gustavo Braumer); Repeteco (Cia das Letras), por Bryan Lee O’Malley (tradução: Érico Assis); Reportagens (Cia das Letras), por Joe Sacco (tradução: Érico Assis); Ronin (Panini), por Frank Miller (tradução: Bernardo Santana, Pedro Catarino e Leonardo Camargo); Salsicha Zine (independente), por Carolina Ito; Savana de Pedra (Astral Books), por Felipe Castilho, Tainan Rocha e Wagner Willian; O Senhor dos Porcos (independente), por Adriano Loyola; Spirou – Diário de um Ingênuo (SESI- SP), por Émile Bravo (tradução: Fernando Paz); Spirou – O Mensageiro Verde-Cinza (SESI-SP), por Schwartz & Yann (tradução: Fernando Paz); Tirinha (independente), por Grazie Fonseca; Topografias (Selo Piqui), por Taís Koshino, Julia Balthazar, Bárbara Malagoli, Lovelove6, Mariana Paraizo e Paula Puiupo; Tragical Misery Tour (Maria Nanquim), por Bruno Maron e Ricardo Coimbra; Ugrito #7 – Fired (Ugra Press), por Ricardo Coimbra; Ugrito #8 – A Mediocrização dos Afetos (Ugra Press), por Fabiane Langona; Ultralafa (independente), por Daniel Lafayette; Uma Morte Horrível (Nemo), por Pénélope Bagieu (tradução: Fernando Scheibe); Verões Felizes – Vol. 1: Rumo ao Sul (SESI-SP), por Zidrou e Jordi Lafebre (tradução: Fernando Paz); Vida no Inferno (Veneta), por Matt Groening (tradução: Alexandre Boide); Zonzo (Mino), por Joan Cornellà.

HQ

– Prêmio Grampo 2017 de Grandes HQs – Os 20 rankings dos eleitores convidados

Foram 20 eleitores convidados para votar no Prêmio Grampo 2017. A regra era simples: cada um deveria enviar um ranking com o seus 10 quadrinhos preferidos publicados no Brasil entre os dias 1º de janeiro e 31 de dezembro de 2016 – incluindo republicações (títulos que já tenham sido lançadas no Brasil anteriormente, mas que apareçam em novo formato editorial. O primeiro colocado de cada ranking recebeu 10 pontos, o segundo nove, o terceiro oito e assim por diante até o 10º com 1 ponto. Foram 85 obras listadas e 133 autores. Os títulos mais citados e mais bem colocados no ranking geral foram divulgados aqui. A seguir, as listas individuais:

Audaci Júnior
[jornalista e colaborador do Universo HQ]

1) Sharaz-De: Contos de As Mil e Uma Noites (Figura), por Sergio Toppi (tradução: Maria Clara Carneiro);
2) Verões Felizes – Vol. 1: Rumo ao Sul (SESI-SP), por Zidrou e Jordi Lafebre (tradução: Fernando Paz);
3) Sopa de Lágrimas (Veneta), por Gilbert Hernandez (tradução: Marina Della Valle);
4) Você é um Babaca, Bernardo (Mino), por Alexandre Lourenço;
5) O Soldador Subaquático (Mino), por Jeff Lemire (tradução: Paulo Cecconi);
6) A Gigantesca Barba do Mal (Nemo), por Stephen Collins (tradução: Eduardo Soares);
7) Bidu – Juntos (Panin), por Eduardo Damasceno e Luiz Felipe Garrocho;
8) Placas Tectônicas (Nemo), por Margaux Motin (tradução: Fernando Scheibe);
9) Bulldogma (Veneta), por Wagner Willian;
10) O Spirou – O Mensageiro Verde-Cinza (SESI-SP), por Schwartz & Yann (tradução: Fernando Paz).

Cecilia Arbolave
[sócia e editora da Lote 42]

1) Bulldogma (Veneta), por Wagner Willian;
2) Além dos Trilhos (Pingado-prés), por Mika Takahashi;
3) Você É Um Babaca, Bernardo (Mino), por Alexandre Lourenço;
4) Quadrinhos dos Anos 10 (Cia das Letras) por André Dahmer;
5) Hinário Nacional (Veneta), por Marcelo Quintanilha;
6) Fixação por Insetos (Antílope), por DW Ribatski;
7) Topografias (Selo Piqui), por Taís Koshino, Julia Balthazar, Bárbara Malagoli, Lovelove6, Mariana Paraizo e Paula Puiupo;
8) Carolina (Veneta), por Sirlene Barbosa e João Pinheiro;
9) Tragical Misery Tour (Maria Nanquim), por Bruno Maron e Ricardo Coimbra;
10) Auto Ajuda (independente), por Felipe Parucci.

Dani Marino
[pesquisadora de quadrinhos e colaboradora da Gibiteca de Santos]

1) Black Silence (independente), por Mariana Cagnin;
2) Mulher-Maravilha: Sangue (Panini), por Brian Azzarello, Cliff Chiang e Tony Akins (tradução: Mario Luiz Barroso);
3) Mônica – Força (Panini), por Bianca Pinheiro;
4) Miss Marvel: Questões Mil (Panini), por G. Willow Wilson, Adrian Alphona e Jacob Wyatt (tradução: Paulo França e Rodrigo Barros);
5) As Empoderadas (Pagu Comics), por Germana Viana;
6) Ninguém Vira Adulto de Verdade (Seguinte), por Sarah Andersen (tradução: André Czarnobai);
7) Salsicha Zine (independente), por Carolina Ito;
8) Na Ponta da Língua (independente), por Beliza Buzzolo;
9) Chora Lombar (Gato Preto), por Thaíz Leão;
10) Topografias (Selo Piqui), por Taís Koshino, Julia Balthazar, Bárbara Malagoli, Lovelove6, Mariana Paraizo e Paula Puiupo;

Daniel Lopes
[editor de quadrinhos e apresentador do Pipoca e Nanquim]

1) Pato Donald: Perdidos nos Andes (Abril), por Carl Barks (tradução: Marcelo Alencar);
2) Os Últimos Dias de Pompeo (Veneta), por Andrea Pazienza (tradução: Michele Vartuli);
3) Sopa de Lágrimas (Veneta), por Gilbert Hernandez (tradução: Marina Della Valle);
4) Sharaz-De: Contos de As Mil e Uma Noites (Figura), por Sergio Toppi (tradução: Maria Clara Carneiro);
5) Desconstruindo Una (Nemo), por Una (tradução: Carol Christo);
6) Ronin (Panini), por Frank Miller (tradução: Bernardo Santana, Pedro Catarino e Leonardo Camargo);
7) Bulldogma (Veneta), por Wagner Willian;
8) Modelo Vivo (Boitempo), por Laerte;
9) Você é um Babaca, Bernardo (Mino), por Alexandre Lourenço;
10) Choques Futuristas (Mythos), por Alan Moore (tradução: Pedro Bouça).

Daniela Cantuária P. Utescher
[sócia e editora da Ugra Press]

1) A Gigantesca Barba do Mal (Nemo), por Stephen Collins (tradução: Eduardo Soares);
2) Matadouro de Unicórnios (Veneta), por Juscelino Neco;
3) Os Últimos Dias de Pompeo (Veneta), por Andrea Pazienza (tradução: Michele Vartuli);
4) Tragical Misery Tour (Maria Nanquim), por Bruno Maron e Ricardo Coimbra;
5) Quadrinhos A2 #5 (independente), por Paulo Crumbim e Cristina Eiko;
6) O Soldador Subaquático (Mino), por Jeff Lemire (tradução: Paulo Cecconi);
7) Parafuso #0 (Pulo Comunicação), por Jão;
8) Know-Haole #4 (Vibe Tronxa Comix), por Diego Gerlach;
9) Topografias (Selo Piqui), por Taís Koshino, Julia Balthazar, Bárbara Malagoli, Lovelove6, Mariana Paraizo e Paula Puiupo;
10) Feto em Conserva #3 (independente), por Victor Bello.

Delfin
[editor chefe do Terra Zero e jornalista especializado em quadrinhos]

1) Ruínas (Marsupial), por Peter Kuper (tradução: Érico Assis);
2) Parker: A Organização (Devir), por Darwyn Cooke (tradução: Marquito Maia);
3) Bulldogma (Veneta), por Wagner Willian;
4) Nimona (Intrínseca), por Noelle Stevenson (tradução: Flora Pinheiro);
5) Vida no Inferno (Veneta), por Matt Groening (tradução: Alexandre Boide);
6) O Soldador Subaquático (Mino), por Jeff Lemire (tradução: Paulo Cecconi);
7) Reportagens (Cia das Letras), por Joe Sacco (tradução: Érico Assis);
8) Quadrinhos dos Anos 10 (Cia das Letras), por André Dahmer;
9) Zonzo (Mino), por Joan Cornellà
10) Rasga-Mortalhas (Zarabatana), por Diogo Bercito e Pedro Vergani;

Érico Assis
[jornalista, tradutor e pesquisador de quadrinhos, editor do A Pilha]

1) Bulldogma (Veneta), por Wagner Willian;
2) Você é um Babaca, Bernardo (Mino), por Alexandre Lourenço;
3) O Futuro (independente), por Denny Chang;
4) Quadrinhos dos Anos 10 (Cia das Letras), por André Dahmer;
5) Fabio 46-50 (independente), por André Valente;
6) Choques Futuristas (Mythos), por Alan Moore (tradução: Pedro Bouça);
7) Estranhos (independente), por Fefê Torquato;
8) Blitzkrieg (independente), por Bruno Seelig;
9) Quadradinhas (independente), por Lucas Gehre;
10) Spirou – Diário de um Ingênuo (SESI- SP), por Émile Bravo (tradução: Fernando Paz).

Gabriela Borges
[jornalista, autora da Mina de HQ e coordenadora digital da Trip Editora]

1) Placas Tectônicas (Nemo), por Margaux Motin (tradução: Fernando Scheibe);
2) O Enterro das Minhas Ex (Nemo), por Gauthier (tradução: Fernando Scheibe);
3) Mônica – Força (Panini), por Bianca Pinheiro;
4) Lizzie Bordello e as Piratas do Espaço #2 (independente), por Germana Viana;
5) Estranhos (independente), por Fefê Torquato;
6) Modelo Vivo (Boitempo), por Laerte;
7) Ninguém Vira Adulto de Verdade (Seguinte), por Sarah Andersen (tradução: André Czarnobai);
8) Uma Morte Horrível (Nemo), por Pénélope Bagieu (tradução: Fernando Scheibe);
9) Topografias (Selo Piqui), por Taís Koshino, Julia Balthazar, Bárbara Malagoli, Lovelove6, Mariana Paraizo e Paula Puiupo;
10) Ugrito #8 – A mediocrização dos Afetos (Ugra Press), por Fabiane Langona.

Guilherme Kroll
[sócio-proprietário da Balão Editorial]

1) Ruínas (Marsupial), por Peter Kuper (tradução: Érico Assis);
2) Invisíveis Vol. 8 (Panini), por Grant Morrison (tradução: Érico Assis);
3) Ghost in the Shell (JBC), por Masamune Shirow – tradução: Drik Sada;
4) Bulldogma (Veneta), por Wagner Willian (tradução: Maria Clara Carneiro);
5) Sharaz-De: Contos de As Mil e Uma Noites (Figura), por Sergio Toppi (tradução: Maria Clara Carneiro);
6) Éden – It’s a Endeless World (JBC), por Hiroki Endou (tradução: Denis Kei Kimura);
7) Você é um Babaca, Bernardo (Mino), por Alexandre Lourenço;
8) 4 Aventuras de Spirou e Fantasio (Sesi – SP), por Fraquin (tradução: Fernando Paz);
9) One Punch Man (Panini), por One e Yusuke Murata (tradução: Lidia Ivasa);
10) Savana de Pedra (Astral Books), por Felipe Castilho, Tainan Rocha e Wagner Willian.

Janaína de Luna
[editora da Mino]

1) Pato Donald: Perdidos nos Andes (Abril), por Carl Barks (tradução: Marcelo Alencar);
2) Desconstruindo Una (Nemo), por Una (tradução: Carol Christo);
3) Os Últimos Dias de Pompeo (Veneta), por Andrea Pazienza (tradução: Michele Vartuli);
4) Bulldogma (Veneta), por Wagner Willian;
5) Know-Haole 4 (Vibe Tronxa Comix), por Diego Gerlach;
6) Sopa de Lágrimas (Veneta), por Gilbert Hernandez (tradução: Marina Della Valle);
7) Hip Hop Genealogia (Veneta), por Ed Piskor (tradução: Mateus Potumati);
8) Gus – 1. Nathalia (SESI – SP), por Christophe Blain (tradução: Fernando Paz);
9) Sharaz-De: Contos de As Mil e Uma Noites (Figura), por Sergio Toppi (tradução: Maria Clara Carneiro);
10) Matadouro de Unicórnios (Veneta), por Juscelino Neco;

Lady’s Comics
[Mariamma Fonseca, Samanta Coan e Samara Horta]

1) Nimona (Intrínseca), por Noelle Stevenson (tradução: Flora Pinheiro);
2) Carolina (Veneta), por Sirlene Barbosa e João Pinheiro;
3) O Mundo de Dentro (Nemo), por Lu Cafaggi e Bruna Vieira;
4) Helter Skelter (New Pop), por Kyoko Okasaki (tradução: Denis Kei Kimura);
5) Placas Tectônicas (Nemo), por Margaux Motin (tradução: Fernando Scheibe);
6) Ninguém Vira Adulto de Verdade (Seguinte), por Sarah Andersen (tradução: André Czarnobai);
7) Além dos Trilhos (Pingado-prés), por Mika Takahashi;
8) Baleia 3 (independente), por Rebecca Prado;
9) Chora Lombar (Gato Preto), por Thaiz Leão;
10) Estranhos (independente), por Fefê Torquato.

Liber Paz
[quadrinista, pesquisador, professor universitário e membro do Balbúrdia]

1) Modelo Vivo (Boitempo), por Laerte;
2) Você é um Babaca, Bernardo (Mino), por Alexandre Lourenço;
3) Jane, a Raposa, e Eu (WMF Martins Fontes), por Fanny Britt e Isabelle Arsenault (tradução: Beatrice Moreira Santos);
4) Hinário Nacional (Veneta), por Marcello Quintanilha;
5) A Agência de Viagens Lemming (Devir), por José Carlos Fernandes;
6) Bulldogma (Veneta), por Wagner Willian;
7) Desconstruindo Una (Nemo), por Una (tradução: Carol Christo);
8) Sendero Luminoso: História de Uma Guerra Suja (Veneta), por Alfredo Villar, Luís Rossell e Jesús Cossio (tradução: Rogério de Campos e Barbara Zocal);
9) O Futuro (independente), por Denny Chang;
10) Sharaz-De: Contos de As Mil e Uma Noites (Figura), por Sergio Toppi (tradução: Maria Clara Carneiro).

Lielson Zeni
[editor, pesquisador, roteirista de quadrinhos e membro do Balbúrdia]

1) Você é um Babaca, Bernardo (Mino), por Alexandre Lourenço;
2) Know-haole #4 (Vibe Tronxa Comix), por Diego Gerlach;
3) Modelo Vivo (Boitempo), por Laerte;
4) sem título (Antílope), por Mariana Paraizo;
5) Fixação por Insetos (Antílope), por DW Ribatski;
6) Desconstruindo Una (Nemo), por Una (tradução: Carol Christo);
7) A Agência de Viagens Lemming (Devir), por José Carlos Fernandes;
8) Bulldogma (Veneta), por Wagner Willian;
9) Hinário Nacional (Veneta), por Marcello Quintanilha;
10) A Gigantesca Barba do Mal (Nemo), por Stephen Collins (tradução: Eduardo Soares).

Luciana Foraciepe
[editora da Maria Nanquim]

1) Quadrinhos dos Anos 10 (Cia das Letras), por André Dahmer;
2) Reportagens (Cia das Letras), por Joe Sacco (tradução: Érico Assis);
3) Vida no Inferno (Veneta), por Matt Groening (tradução: Alexandre Boide);
4) Zonzo (Mino), por Joan Cornellá;
5) Antílope #2 (Antílope), por Luis Aranguri e Victor Gáspari Canela (tradução: Luis aranguri, Victor Gáspari Canela e Valerie Lengronne);
6) O Futuro (independente), por Denny Chang;
7) Mini-Infartos (Beleléu), por Gomez;
8) Ugrito #7 – Fired (Ugra Press), por Ricardo Coimbra;
9) Jornal Pimba (Pimba Press);
10) Ugrito #8 – A mediocrização dos Afetos (Ugra Press), por Fabiane Langona.

Maria Clara Carneiro
[tradutora, pesquisadora de HQs, professora universitária e membro do Balbúrdia]

1) Ugrito #8 – A mediocrização dos Afetos (Ugra Press), por Fabiane Langona
2) Know-haole #4 (Vibe Tronxa Comix), por Diego Gerlach;
3) Você é um Babaca, Bernardo (Mino), por Alexandre Lourenço;
4) Fixação por Insetos (Antílope), por DW Ribatski;
5) Jane, a Raposa, e Eu (WMF Martins Fontes), por Fanny Britt e Isabelle Arsenault;
6) Hinário Nacional (Veneta), por Marcello Quintanilha;
7) Ultralafa (independente), por Daniel Lafayette;
8) Topografias (Selo Piqui), por Taís Koshino, Julia Balthazar, Bárbara Malagoli, Lovelove6, Mariana Paraizo e Paula Puiupo;
9) Finório (Zarabatana), por Marco Oliveira;
10) Modelo Vivo (Boitempo), por Laerte.

Milena Azevedo
[roterista de quadrinhos e integrante do selo Pagu Comics, da Editora Cândido]

1) A Liga Extraordinária – Dossiê Negro (Devir), por Alan Moore e Kevin O’Neill (tradução: Marquito Maia);
2) Ghost in The Shell (JBC), por Masamune Shirow (tradução: Drik Sada);
3) A Gigantesca Barba do Mal (Nemo), por Stephen Collins (tradução: Eduardo Soares);
4) Repeteco (Cia das Letras), por Bryan Lee O’Malley (tradução: Érico Assis);
5) Bulldogma (Veneta), por Wagner Willian;
6) Rat Queens – Vol 1: Pancadaria & Feitiçaria (Jambô), por Kurtis J Wiebe e Roc Upchurch (tradução: Gustavo Braumer);
7) Placas Tectônicas (Nemo), por Margaux Motin (tradução: Fernando Scheibe);
8) Desconstruindo Una (Nemo), por Una (tradução: Carol Christo);
9) Fullmetal Alchemist – Vol. 1 (JBC), por Hiromu Arakawa (tradução: Karen Kazumi Hayashida);
10) O Senhor dos Porcos (independente), por Adriano Loyola.

Mitie Taketani
[proprietária de Itiban Comic Shop];

1) Sendero Luminoso: História de Uma Guerra Suja (Veneta), por Alfredo Villar, Luís Rossell e Jesús Cossio (tradução: Rogério de Campos e Barbara Zocal);
2) Bulldogma (Veneta), por Wagner Willian;
3) O Futuro (independente), por Denny Chang;
4) Know-Haole #4 (Vibe Tronxa Comix), por Diego Gerlach;
5) Ruínas (Marsupial), por Peter Kuper (tradução: Érico Assis);
6) Fixação por Insetos (Antílope), por DW Ribatski;
7) Hídrico (Veneta), por Tiago Judas;
8) Antílope #2 (Antílope), por Luis Aranguri e Victor Gáspari Canela (tradução: Luis aranguri, Victor Gáspari Canela e Valerie Lengronne);
9) Tirinha (independente), por Grazie Fonseca;
10) Topografias (Selo Piqui), por Taís Koshino, Julia Balthazar, Bárbara Malagoli, Lovelove6, Mariana Paraizo e Paula Puiupo;

Paulo Cecconi
[tradutor de quadrinhos e membro do Balbúrdia];

1) Você é um Babaca, Bernardo (Mino), por Alexandre Lourenço;
2) Desconstruindo Una (Nemo), por Una (tradução: Carol Christo);
3) Modelo Vivo (Boitempo), por Laerte;
4) sem título (Antílope), por Mariana Paraizo;
5) Sharaz-De: Contos de As Mil e Uma Noites (Figura), por Sergio Toppi (tradução: Maria Clara Carneiro);
6) A Agência de Viagens Lemming (Devir), por José Carlos Fernandes;
7) Sendero Luminoso: História de Uma Guerra Suja (Veneta), por Alfredo Villar, Luís Rossell e Jesús Cossio (tradução: Rogério de Campos e Barbara Zocal);
8) Hinário Nacional (Veneta), por Marcello Quintanilha;
9) Os Últimos Dias de Pompeo (Veneta), por Andrea Pazienza (tradução: Michele Vartuli);
10) Know-haole #4 (Vibe Tronxa Comix), por Diego Gerlach;

Paulo Floro
[jornalista e pesquisador de quadrinhos, um dos editores da Revista O Grito!];

1) Bulldogma (Veneta), por Wagner Willian;
2) A História do Século XX (Manual do Minotauro), por Laerte;
3) Sopa de Lágrimas (Veneta), por Gilbert Hernandez (tradução: Marina Della Valle);
4) Hip Hop Genealogia (Veneta), por Ed Piskor (tradução: Mateus Potumati);
5) Quadrinhos dos Anos 10 (Cia das Letras), por André Dahmer;
6) A Gigantesca Barba do Mal (Nemo), por Stephen Collins (tradução: Eduardo Soares);
7) Finório (Zarabatana), por Marco Oliveira;
8) Você É Um Babaca, Bernardo (Mino), por Alexandre Lourenço;
9) Desconstruindo Una (Nemo), por Una (tradução: Carol Christo);
10) Guerras Secretas #1-#9 (Panini), por Jonathan Hickman e Esad Ribic (tradução: Jotapê Martins e Paulo França);

Ramon Vitral
[jornalista e editor do Vitralizado].

1) Desconstruindo Una (Nemo), por Una (tradução: Carol Christo);
2) Os Últimos Dias de Pompeo (Veneta), por Andrea Pazienza (tradução: Michele Vartuli);
3) Bulldogma (Veneta), por Wagner Willian;
4) Modelo Vivo (Boitempo), por Laerte;
5) Know Haole #4 (Vibe Tronxa Comix), por Diego Gerlach;
6) Você é um Babaca, Bernardo (Mino), por Alexandre Lourenço;
7) A Gigantesca Barba do Mal (Nemo), por Stephen Collins (tradução: Eduardo Soares);
8) Matadouro de Unicórnios (Veneta), por Juscelino Neco;
9) Parafuso #0 (Pulo Comunicação), por Jão;
10) Topografias (Selo Piqui), por Taís Koshino, Julia Balthazar, Bárbara Malagoli, Lovelove6, Mariana Paraizo e Paula Puiupo;

HQ

– Prêmio Grampo 2017 de Grandes HQs – Os nomes dos 20 jurados da premiação

O Prêmio Grampo surgiu em 2016 inspirado na saudosa votação de melhores do ano do Gibizada do Télio Navega no Globo. Assim como ele fazia, eu e o Lielson Zeni do Balbúrdia convidamos várias pessoas envolvidas de diferentes formas na cena brasileira de quadrinhos a produzirem seus rankings com aqueles que elas consideram os 10 melhores títulos publicados no país no ano anterior. A ideia é que esse júri passe por mudanças pontuais a cada ano.

Assim como na edição de 2016, chamamos 20 pessoas entre quadrinistas, editores, pesquisadores, jornalistas e lojistas. A lista final com os 10 títulos mais votados e vencedores dos Grampos de Ouro, Prata e Bronze serão revelados no sábado (28/1), a partir das 16h, no Dia do Quadrinho Nacional na Ugra. No domingo (29/1) você encontrará por aqui e no Balbúrdia os rankings individuais de cada um dos jurados e a lista completa com todos os títulos votados. Por enquanto, apresentamos os nossos 20 jurados de 2017:

Audaci Júnior [jornalista e colaborador do Universo HQ];
Cecilia Arbolave [sócia e editora da Lote 42];
Dani Marino [pesquisadora de quadrinhos e colaboradora da Gibiteca de Santos];
Daniel Lopes [editor de quadrinhos e apresentador do Pipoca e Nanquim];
Daniela Cantuária P. Utescher [sócia e editora da Ugra Press];
Delfin [editor chefe do Terra Zero e jornalista especializado em quadrinhos];
Érico Assis [jornalista, tradutor e pesquisador de quadrinhos, editor do A Pilha];
Gabriela Borges [jornalista, autora da Mina de HQ e coordenadora digital da Trip Editora];
Guilherme Kroll [sócio-proprietário da Balão Editorial];
Janaína de Luna [editora da Mino];
Lady’s Comics [Mariamma Fonseca, Samanta Coan e Samara Horta];
Liber Paz [quadrinista, pesquisador, professor universitário e membro do Balbúrdia];
Lielson Zeni [editor, pesquisador, roteirista de quadrinhos e membro do Balbúrdia];
Luciana Foraciepe [editora da Maria Nanquim];
Maria Clara Carneiro [tradutora, pesquisadora de HQs, professora universitária e membro do Balbúrdia];
Milena Azevedo [roterista de quadrinhos e integrante do selo Pagu Comics, da Editora Cândido];
Mitie Taketani [proprietária de Itiban Comic Shop];
Paulo Cecconi [tradutor de quadrinhos e membro do Balbúrdia];
Paulo Floro [jornalista e pesquisador de quadrinhos, um dos editores da Revista O Grito!];
Ramon Vitral [jornalista e editor do Vitralizado].