Vitralizado

Posts com a tag Chris Ware

HQ

Chris Ware e a produção de Monograph

Sei lá se tem alguma obra de arte mais incrível e impressionante revelada ao mundo em 2017 como Monograph. O livro é uma autobiografia ilustrada com reproduções de fotos e registros da vida, da carreira e das obras dos Chris Ware. É o meu quadrinista favorito expondo suas principais influências, opiniões e ideias. Desde a chegada do meu exemplar tenho tentado ler calmamente, não mais que uma ou duas páginas por dia, para que o livro dure ainda mais. Enfim, o Chris Ware deu uma entrevista pro jornalista e apresentador Charlie Rose sobre o livro recém-lançado pela editora Rizzoli. Dá o play:

HQ

Sete dicas de Chris Ware para filmes, séries, músicas, exposições, quadrinhos e ilustrações

O Chris Ware assinou a capa do mais recente número do suplemento The Observer do jornal inglês The Guardian. A edição celebra o aniversário de 10 anos do prêmio anual de HQs da publicação, em parceria com a editora Jonathan Cape e o festival Comica. Além da capa, o Ware participou do caderno listando sete dicas de filmes, séries, músicas, exposições, quadrinhos e ilustrações. Recomendo uma investida pesada nos textos dessa edição do Observer, tão demais, com participações de Joe Sacco, Alison Bechdel, Zadie Smith e mais um tanto de gente foda.

HQ

Robinson, por Chris Ware

O Chris Ware assina a capa da mais recente edição da revista Robinson, suplemento semanal do jornal italiano La Repubblica. A matéria aproveita a proximidade do festival de quadrinhos de Lucca, entre 1 e 5 de novembro, para falar da história das HQs e de alguns dos mais influentes representantes da linguagem. No site da publicação a chamada da matéria cita personagens como Mickey, Charlie Brown e Diabolik e autores como Andrea Pazienza, Gipi, Mattotti e Zerocalcare – recém-lançado por aqui pela Nemo.

Aliás, outro dia chegou aqui em casa a minha edição de Monograph, espécie de autobiografia do Chris Ware com várias fotos e reproduções de trabalhos do autor ao longo de sua carreira. Suspeito que jamais saíra por aqui, mas é dos itens mais obrigatórios de 2017 se você gosta de HQs. Sempre digo: Ware é gênio e somos muito privilegiados de sermos contemporâneos dele e de seus trabalhos.

HQ

McSweeney’s #50, por Chris Ware

O quadrinista Chris Ware assina a capa da edição de número 50 da McSweeney’s Quarterly Concern, principal publicação da editora McSweeney’s, do escritor/editor Dave Eggers. A edição contará com trabalhos dos principais colaboradores desses 50 números da revista – a lista completa você confere aqui. Autor de quadrinhos publicados em diferentes números da McSweeney’s, o Chris Ware organizou uma das edições mais célebres do periódico, a 13ª, uma das coletâneas de quadrinhos mais incríveis que já vi.

(Valeu pelo link, Érico!)

HQ

Business or Pleasure, por Chris Ware

Tô na seca por algo novo do Chris Ware. Ele anda meio sumido, talvez por estar por conta dos últimos ajustes de Monograph, próximo trabalho dele que será publicado pela editora Rizzoli em outubro – com direito a prefácio do Ira Glass e introdução da Françoise Mouly e do Art Spiegelman. Enfim, pra amenizar um pouco essa ausência, vai ter quadrinho novo do autor na próxima edição da New Yorker, mas já está disponível online no site da revista.

Business or Pleasure mostra a ida de um casal norte-americano ao Monument Valley, na fronteira dos estados do estados do Arizona com Utah. Recomendo bastante a leitura. Dá pra ler por aqui, ó.

HQ

Snapchat, por Chris Ware

Outro dia comentei com um amigo que tenho achado o Chris Ware meio quieto demais nos últimos meses – ou talvez seja só eu ansioso por um próximo projeto do meu quadrinista preferido. Daí que ele publicou um quadrinho de quatro páginas batizado de Snapchat na edição da New Yorker do dia 14 de novembro. Bem foda, pra variar. Dá uma lida (valeu pelo link, Lielson!):

Continue reading

HQ

Chip Kidd, por Chris Ware

Esbarrei no Twitter com essa página aqui em cima, um convite criado pelo Chris Ware para uma palestra do Chip Kidd no Art Director’s Club em 1994. Ela acabou sendo impressa na coletânea Book One do designer norte-americano, uma retrospectiva dos trabalhos dele produzidos entre 1986 e 2006.