Vitralizado

Posts com a tag Alfonso Cuarón

Cinema

Little White Lies #77: Roma

A capa da 77ª edição da Little White Lies ficou com Roma, filme mais recente do cineasta mexicano Alfonso Cuarón. A produção é ambientada na Cidade do México dos anos 70 e narra um ano na vida de uma família de classe média da capital mexicana e da babá responsável por cuidar de suas crianças. A arte da capa é assinada pela ilustradora espanhola Nuria Riaza. A Little White Lies é minha revista preferida e reúno aqui no blog os destaques de cada edição já há alguns anos. Você confere outras informações sobre esse número 77 lá na página da publicação. Ó o trailer de Roma:

Cinema / Retrospectiva 2013

Retrospectiva Vitralizado 2013 – Gravidade

GravidadePôster

Até tentei fazer uma lista de melhores filmes de 2013. Fui ao cinema 106 vezes no ano e fiquei confuso pra caramba em relação à ordem dos dez primeiros. Desisti no final das contas, mas sabia que Gravidade ficaria em primeiro lugar. Assim como Pacific Rim, o filme explora toda a magnitude e grandiosidade permitidas em uma tela de cinema. O espaço apresentado ao longo dos 90 minutos do filme é mais impressionante do que qualquer registro presente em documentários filmados em alta definição, por satélites reais, e exibidos em canais como National Geographic e Discovery Channel. Além das técnicas e efeitos irretocáveis, o diretor construiu personagens profundos, com dilemas e histórias de vida que emergem à medida que suas esperanças começam a diminuir. Melhor do ano. Fácil, fácil.

-Mais sobre Gravidade no Vitralizado: Aningaaq: o spin-off de Gravidade, Gravidade e a busca por Deus, Gravidade, O cinema de Alfonso Cuarón.

Cinema

Aningaaq: o spin-off de Gravidade

Aningaaq

Você viu Gravidade né? Lembra da cena que a Dra. Ryan Stone (Sandra Bullock) consegue fazer contato com a Terra, mas não na Nasa, com um civil em uma língua que ela não entende? O Jonás Cuarón, filho do diretor Alfonso Cuarón, e co-autor do roteiro do filme, produziu um curta mostrando a versão terrestre desse diálogo. São só sete minutos, mas muito mais emocionantes do que 90% dos longas que vi em 2013. O filminho vai estar nos extras de dvds e blu-rays de Gravidade e a Warner deve indicar pra disputa do Oscar de curta. Assiste aí:

Cinema

Gravidade

Escrevi sobre Gravidade pro Estadão de hoje (11/10). Filmaço do Alfonso Cuarón que chegou pra embolar tudo na minha lista de melhores filmes 2013.

Gravidade

Fôlego restrito

O espaço apresentado ao longo dos 90 minutos de Gravidade é mais impressionante do que qualquer registro presente em documentários filmados em alta definição, por satélites reais, e exibidos em canais como National Geographic e Discovery Channel. O espetáculo é fruto de quatro anos e meio de pesquisas, testes, filmagens e animações feitas pelo diretor mexicano Alfonso Cuarón, resultando em um dos melhores lançamentos de 2013.

Escrito por Cuarón e seu filho Jonás, o roteiro conta a história de dois astronautas na órbita terrestre, sem transporte e com pouco oxigênio, após sua nave ser destruída por restos de uma estação espacial russa. É esse o centro de todo o longa: a luta pela sobrevivências dos astronautas Ryan Stone (Sandra Bullock) e Matt Kowalski (George Clooney), sem qualquer contato com a Terra e com alternativas limitadas e improváveis de autopreservação.

Autor do melhor episódio da série Harry Potter, ‘O Prisioneiro de Azkaban’ (2004), Cuarón inicia ‘Gravidade’ com uma sequência de praticamente quinze minutos sem cortes. Em ‘Filhos da Esperança’ (2006), ele já havia utilizado a técnica em vários momentos, mas especialmente nos instantes derradeiros da produção, em uma cena ininterrupta de quase oito minutos. No entanto, dessa vez, seus movimentos de câmera fazem jus à vastidão espacial e percorrem sentidos e direções inimagináveis em um cenário terrestre.

Além das técnicas e efeitos irretocáveis, o diretor construiu personagens profundos, com dilemas e histórias de vida que emergem à medida que suas esperanças começam a diminuir. Bem-humorado, o Kowalski de Clooney não é muito diferente de outras encarnações simpáticas do galã. Cabe à personagem de Bullock expressar todo o desespero inerente ao seu contexto e o sangue-frio necessário para enfrentá-lo.

Cuarón concebeu umas das obras mais aflitivas já filmadas. Prenda a respiração e aguarde pelo final grandioso com ares de ‘2001: Uma Odisseia no Espaço’ (1968).

Cinema

O cinema de Alfonso Cuarón

Cuaron

Guarde o link desse post e volte a ele após ter visto Gravidade. Não revelo qualquer spoiler do filme novo de Alfonso Cuarón, mas o vídeo mais abaixo contém algumas das imagens sensacionais da sequência inicial da produção e vale a pena deixar pra ver no cinema, com toda a imersão permitida por um telão. O diretor independente Nelson Carvajal editou falas de entrevistas do cineasta mexicano com algumas das mais belas sequências de sua filmografia. Diz um tantão sobre o autor, um dos mais espetaculares em ação no momento. Encontrei, mais uma vez, lá no ótimo Cinephilia and Beyond. E aqui você vê o texto publicado originalmente junto com o vídeo, falando um pouco mais sobre as características e padrões do cineasta. Gravidade estreia na próxima 6ª, dia 11. Caso queira entender um pouco mais do cinema de Cuarón, é só dar o play. Demais.

Cinema

Todas as cenas com mais de 45 segundos de Filhos da Esperança

FilhosdaEsperançaPlanosSequência

Assisti Gravidade hoje pela manhã e passei o dia pensando no filme novo do Alfonso Cuarón. Estreia na próxima sexta e quando chegar aos cinemas eu falo mais por aqui. Só adianto que é um dos melhores do ano, facilmente. Na abertura há uma sequência enorme sem cortes e lembrei desse vídeo, que vi lá no Cinephilia and Beyond. Um fã de Filhos da Esperança reuniu todas as cenas com mais de 45 segundos de duração e sem cortes, uma raridade no cinema, incluindo o incrível plano-sequência de quase oito minutos presente no filme de 2006. Demais: