Vitralizado

HQ

## Retrospectiva Vitralizado 2018 ## Leituras recomendadas 2018

Chego ao final de 2018 com o mesmo balanço dos últimos anos: li quadrinho pra caramba, mas menos do que gostaria. Não li mais por tentar levar uma vida que não fique limitada às HQs e por não dar conta de tudo que sai. Não acho que ninguém deva ler tudo o que chega às livrarias (não acredito que isso seja financeiramente viável) e considero importante a aposta em filtros pessoais. Estou sempre aberto ao novo e disposto a dar o benefício da dúvida a obras de gêneros com os quais eu possa ter alguma resistência, mas tendo a investir nos mesmo critérios pessoais e abstratos que direcionam a linha editorial do Vitralizado.

Andei listando na retrospectiva anual do blog algumas das obras que mais me chamaram atenção e que mais renderam conteúdo no site nos últimos 12 meses. Agora, eu reúno essas publicações a outras que li com prazer e sobre as quais gostaria muito de ter comentado, mas os instantes de seus lançamentos não ajudaram. Listo a seguir, em ordem alfabética, algumas recomendações de leitura de quadrinhos de 2018. São os títulos publicados entre janeiro e dezembro do ano que chega ao fim que mais me impactaram. Ó:

*Ânsia Eterna (Sesi – SP), por Verônica Berta;
*A Arte de Charlie Chan Hock Chye (Pipoca & Nanquim), por Sonny Liew;
*Asa Quebrada (Veneta), por Antonio Altarriba e Kim;
*ASTERÓIDES – Estrelas em Fúria (Escória Comix e Ugra Press), por Lobo Ramirez;
*Aterro (independente), por Roger Vieira;
*Ayako (Veneta), por Osamu Tezuka;
*Black Dog: Os Sonhos de Paul Nash (DarkSide Books), por Dave McKean;
*Billy Soco!™ – Guernica #1 (Beleléu), por Gabriel Góes e Diego Gerlach;
*Bone: O Vale ou Equinócio Invernal (Todavia), por Jeff Smith;
*Cadafalso (Mino), por Alcimar Frazão e convidados;
*Cavalo de Teta #2 (independente), por João Pinheiro, Alves, Diego Gerlach, MZK e Schiavon;
*Cinco Mil Quilômetros por Segundo (Devir), por Manuele Fior;
*Cintaralha Comix #1 (independente), por Kainã Lacerda;
*Cintaralha Comix #2 (independente), por Kainã Lacerda;
*Como uma Luva de Veludo Moldada em Ferro (Nemo), por Daniel Clowes;
*Conto de Areia (Pipoca & Nanquim), por Ramón K. Perez, Jim Henson e Jerry Juhl;
*Crimes e Castigos (Figura), por Carlos Nine;
*Desenhados um Para o Outro (Companhia das Letras), por Robert Crumb e Aline Crumb;
*Durma Bem, Monstro (independente), por Alexandre S. Lourenço;
*Eles Estão Por Aí (Todavia), por Bianca Pinheiro e Greg Stella;
*A Entrevista (Mino), por Manuele Fior;
*Enxaqueca (independente), por Felipe Parucci;
*Firehose! (independente), por Paulo Crumbim;
*Fugir – O Relato de um Refém (Zarabatana Books), por Guy Delisle;
*Fun Home (Todavia), por Alison Bechdel;
*Garotos do Reservatório (Mino), por Célio Cecare e Fábio Cobiaco;
*Granizo (Ugra Press), por Felipe Portugal;
*Hibernáculo (independente), por Amanda Miranda Paschoal;
*O Idiota (Companhia das Letras), por André Diniz;
*A Irmandade Bege (independente), por Roger Cruz;
*Jeremias: Pele (Panini Comics), por Rafael Calça e Jefferson Costa;
*Kettling! (independente), por Paulo Crumbim;
*Know-Haole # 8 (Vibe Tronxa Comix), por Diego Gerlach;
*Lafa nas eleições (independente), por Lafa;
*Lilibel (independente), por Raquel Vitorelo;
*Lobo Solitário (Panini Comics), por Kazuo Koike e Goseki Kojima;
*Máquinas Não Choram (independente), por Renato Quirino e André Turtelli;
*A Marcha – Livro 1: John Lewis e Martin Luther King em Uma História de Luta Pela Liberdade (Nemo), por John Lewis, Andrew Aydin e Nate Powell;
*O Martírio de Joana Dark Side (Texugo), por Wagner Willian;
*Massa Véio (independente), por Rodrigo Okuyama;
*Me Leve Quando Sair (independente), por Jéssica Groke;
*Messias & Messias (revista piauí), por Andrício de Souza;
*Minha Casa Está um Caos (Coleção Des.Gráfica), por Deborah Salles e Sofia Nestrovski;
*Mort Cinder (Figura), por Alberto Breccia e Héctor Oesterheld;
*Música para Antropomorfos (Zarabatana Books), por Fabio Zimbres e Mechanics;
*Novo Amanhecer – Terceira Temporada (independente), edição: Gabriel Góes, Oriol Barberà e Batista;
*Novo Lobo Solitário (Panini Comics), por Kazuo Koike e Hideki Mori;
*A Origem do Mundo (Companhia das Letras), por Liv Strömquist;
*Um Pedaço de Madeira e Aço (Pipoca & Nanquim), por Chabouté;
*Partir (Coleção Des.Gráfica), por Grazi Fonseca;
*O Perfeito Estranho (Veneta), por Bernie Krigstein;
*Pluto (Panini Comic), por Naoki Urasawa;
*Porta do Inferno (Escória Comix e Gordo Seboso), por Lobo Ramirez, Luiz Berger, Emily Bonna, Victor Bello, Diego Gerlach, Abraham Diaz;
*quartabê – lição #2: dorival, por Deborah Salles;
*QP (Lote 42), por Power Paola;
*Rapsódia para Máquina Operatriz (Coleção Des.Gráfica), por Ian Indiano;
*Raul (Elefante), por Alexandre De Maio;
*Revista Pé-de-Cabra (independente), edição: Panhoca;
*Refugiados – A Última Fronteira (DarkSide Books), por Kate Evans;
*A Revolução dos Bichos (Companhia das Letras), por Odyr;
*Roly Poly (Mino), por Daniel Semanas;
*Schadenfreude!, (independente), por Paulo Crumbim;
*Sem Volta (Companhia das Letras), por Charles Burns;
*Só Ana (independente), por Renata Nolasco;
*Soco! Volume 2 – Billy Soco no Inferno (Cosmos), por Gabriel Góes;
*Sonoria (independente), por Bruno Pirata;
*Tekkon Kinkreet (Devir), por Taiyo Matsumoto;
*A Terra dos Filhos (Veneta), por Gipi;
*Tilt (independente), por Raquel Vitorelo;
*Todos os Santos (Veneta), por Marcello Quintanilha;
*Ugrito #15 – Incontinência Tripária (Ugra Press), por Victor Bello;
*Ugrito #16 – Ruído (Ugra Press), por Paulo Crumbim;
*Ugrito #17 – Óleo Sobre Tela (Ugra Press), por Aline Zouvi;
*Uma Irmã (Nemo), por Bastien Vivès;
*Vagabond (Panini Comics), por Takehiko Inoue;
*Vagabundos no Espaço (Draco), por Raphael Salimena;
*A Vida é Boa, Se Você Não Fraquejar (Mino), por Seth;
*A Vida Não Me Assusta (independente), por Juscelino Neco;
*A Zica #5 (independente), edição: Luiz Navarro, Marcos Batista e João Perdigão;
*Weird Comix #7 (independente), por Fabio Vermelho;
*Weird Comix #8 (independente), por Fabio Vermelho.

-Incluo ainda dois projetos que contaram com o meu envolvimento no papel de editor, mas coerentes com a lista de obras recomendadas acima:

*Por muito tempo tentei me convencer de que te amava (Balão Editorial), por Thiago Souto;
*Série Postal 2018 (independente), por Alexandre S. Lourenço, Raquel Vitorelo, Cecilia Silveira, Deborah Salles e Diego Gerlach.

-Também listo a seguir mais algumas obras lançadas em 2018 que ainda não li, mas que não duvido que ainda possam estar entre as minhas preferidas do ano:

*Akira #2 (JBC), por Katsuhiro Otomo;
*Akira #3 (JBC), por Katsuhiro Otomo;
*Beowulf (Pipoca & Nanquim), por Santiago García e David Rubín;
*Dinâmica de Bruto #2 (Maria Nanquim), por Bruno Maron;
*Ex Apparatus: Neo Luddens Front (independente), por Daniel Lopez e Rafael Triandopolis;
*Gus #4 – Feliz Clem (Sesi – SP), por Christophe Blain;
*Mar Menino (independente), por Paulo Moreira;
*A Noite dos Homens-Peixe (independente), por Gabriel Dantas e Juscelino Neco;
*O Relatório de Brodeck (Pipoca & Nanquim), por Manu Larcenet.

HQ

## Retrospectiva Vitralizado 2018 ## Kettling! (independente), Firehose! (independente) e Schadenfreude! (independente), por Paulo Crumbim

Segundo Paulo Crumbim, a leva recente de zines lançada por ele surge da vontade de tratar de temas urgentes em quadrinhos sem levar meses, anos ou décadas inteiras para que as obras cheguem aos leitores. A trilogia publicada por ele em 2018 é composta pelas HQs Kettling!, Firehose! e Schadenfreude! e tem como foco o contexto político brasileiro ao longo do último ano e a chegada de Jair Messias Bolsonaro ao poder. Também estão entre as minhas leituras preferidas dos últimos 12 meses.

HQ

## Retrospectiva Vitralizado 2018 ## Messias & Messias (revista piauí), por Andrício de Souza

Vocês leram a a edição de dezembro da revista piauí? Além da capa ilustrada pelo quadrinista Andrício de Souza, a publicação reúne vários cartuns do autor para a série Messias & Messias, na qual ele mostra a interação entre Jesus e o futuro presidente brasileiro Jair Messias Bolsonaro. Outro dos pontos altos das HQs nacionais em 2018. Você encontra grande parte desse conteúdo no site da piauí.

HQ

##Retrospectiva Vitralizado 2018 ## Super-Homem e o Romantismo de Aço (Ugra Press), por Rogério de Campos

O Super-Homem completou 80 anos de existência em 2018. Símbolo maior da indústria norte-americana de quadrinhos, o personagem teve sua origem e suas reverberações no mundo das HQs analisadas pelo jornalista e editor Rogério de Campos. O ensaio presente em Super-Homem e o Romantismo de Aço é fundamental para a compreensão da infantilização crescente na forma como quadrinhos são produzidos, lidos e debatidos nos nossos dias – e também para o entendimento de como essa indústria contribui para a “manutenção do estado das coisas em um mundo cada vez mais autoritário e obscurantista”.

Leia mais:
+++ Leia o prefácio de Super-Homem e o Romantismo de Aço, o novo livro de Rogério de Campos;
+++ Sábado (5/5) é dia de lançamento de Super-Homem e o Romantismo de Aço, de Rogério de Campos, e Deus aos Domingos, de Rafael Campos Rocha.

HQ

## Retrospectiva Vitralizado 2018 ## Fugir – O Relato de Um Refém (Zarabatana Books), por Guy Delisle

Tive poucas experiências de leitura tão imersivas quanto Fugir – O Relato de Um Refém, do quadrinista canadense Guy Delisle. O álbum adapta para quadrinhos um longo depoimento do trabalhador humanitário francês Christophe André sobre o período de 111 dias no qual ele ficou como refém de uma milícia na região do Cáucaso no ano de 1997.

Leia mais:
+++ Fugir – O Relato de Um Refém: Guy Delisle e os 111 dias de cativeiro de Christophe André;
+++ Papo com Guy Delisle, o autor de Fugir – O Relato de Um Refém: “Você não sabe o que faria em uma situação tensa que nem aquela”.