Vitralizado

Posts por data janeiro 2016

HQ

O novo site e a newsletter d’A Bolha

Já comentei por aqui antes: dentre as várias pequenas editoras que compõem o mercado brasileiro de quadrinhos e/ou coisas legais, uma das minhas preferidas é A Bolha. Depois de levarem um susto no final do ano passado com um incêndio que destruiu parte de seu estoque, os responsáveis pela editora acabaram de colocar no ar um site novo e abriram o cadastro pra uma futura newsletter. Mas mais legal é o texto recém-publicado e bem interessante assinado pela Rachel Gontijo Araújo, dona da Bolha, lá no Medium. Além de comentar sobre os quatro anos a frente da editora, ela fala sobre os desafios de manter e administrar uma empreitada independente como sua empresa e promete um 2016 diferente de todos os outros anos da Bolha – sendo um deles o terceiro volume de Moomin. Promissor, hein?

HQ / Séries

The Leftovers, por Adrian Tomine

Em agosto de 2011 o New York Times publicou uma resenha do livro The Leftovers do escritor Tom Perrotta – a obra inclusive virou a série homônima da HBO lançada em 2014 (nunca vi, alguém aí tem algo a dizer sobre?). A crítica do jornal foi assinada pelo Stephen King e a ilustração do texto ficou a cargo do Adrian Tomine, com essa pérola aqui em cima. Enfim, mais uma vez, um Adrian Tomine por aqui só pra deixar o blog mais bonito.

Cinema / HQ

Tokyo Story, por Chris Ware

E daí que não é só o Adrian Tomine que curte os filmes do Yasuhiro Ozu. Tava ali no tumblr dando uma sacada em uns trabalhos do Chris Ware e esbarrei com essa arte aqui em cima, feita pelo autor de Jimmy Corrigan e inspirada em Tokyo Story, filme de 1953 do cineasta japonês. Descobri que o pôster foi feito pra uma exposição de 2008 organizada pelo pessoal do The Cinefamily e dedicada à filmografia do diretor. Foda também.

HQ

mono.kultur #30: Chris Ware

Cada edição da revista alemã mono.kultur é dedicada exclusivamente a um artista. O número 30 da revista, lançado em 2011, foi sobre o Chris Ware. Além de uma entrevista com o quadrinista, reproduziram vários trabalhos dele, virando um tremendo catálogo da carreira do autor de Jimmy Corrigan. Após alguns anos esgotado, voltaram a imprimir o número 30. Tá a venda na internet por 5 euros mais o custo do envio. Cara, acho que vale muito o investimento. Já tô no aguardo da minha. Dá uma mexida lá no site da revista pra você sacar o naipe dessa edição. (valeu pela dica, Thais 😉 )