Vitralizado

Posts na categoria Animação

Animação

O bonequinho de de luxo de O Gigante de Ferro

A Mondo colocou em pré-venda a partir de hoje um briquedo de luxo do robô protagonista de O Gigante de Ferro. Uma das animações mais legais que o cinema norte-americano já produziu, o filme virou cult com o passar dos anos, foi tema de cartazes expostos e vendidos pela própria Mondo e agora ganhou esse brinquedo sensacional. O bonequinho tem 40 centímetros, mais de 30 pontos articulados, emite alguns sons e vem acompanhado de algumas peças extras – incluindo uma miniatura do Hogarth, o menino amigo do robô. Coisa fina demais. Ruim é o preço, sem contar o envio, sai por US$300. Mas mais legal que o brinquedo, é a foto do Brad Bird, diretor do filme, embasbacado com o seu exemplar do brinquedo em mãos, olha mais abaixo no post. Lá no site da Mondo tem outras imagens. Dá pra comprar aqui.

Aço2

Aço3

Aço4

Aço5

Animação

A Smallville Man: um conto animado protagonizado pelo Super-Homem

Ó que foda essa animação feita pelo artista Maurício Abril, protagonizada pelo Super-Homem e batizada de A Smallville Man. São 150 ilustrações animadas e apresentadas junto com Walk do Foo Fighters. Coisa fina. Em 2013, o artista já tinha lançado A Gotham Fairytale, com uma historinha sobre o Batman. Posto os dois vídeos em sequência. Cada um tem entre cinco e sete minutos, mais do que o suficiente pra ser bem melhor do que qualquer coisa dirigida pelo Zack Snyder pra DC hehe Saca só:

Animação / Cinema / Entrevistas / HQ

Entrevistas Vitralizado

WMentrevista

E aí, curtiu o visual novo do OEsquema? Algumas coisas ainda estão entrando no lugar e daqui a pouco tá tudo nos trinques, se tiver algum pitaco manda aí. Pra comemorar a mudança, reuni aqui algumas das entrevistas publicadas no Vitralizado. O blog tá bem próximo dos mil posts e talvez você não tenha visto toda a galera que entrevistei nesses quase dois anos de conteúdo aleatório justaposto em sequência deliberada. Prometo mais pra breve e avisa aí se tiver alguma sugestão de papo bom a ser feito.

Jeffrey Brown (autor de Kids Are Weird e Darth Vader & Son);
Andrew DeGraff (artista do New York Times);
Chris Ware (autor de Building Stories);
Ricardo Coimbra (um dos artistas da revista Xula);
Alexandre O. Philippe (diretor de O Povo Contra George Lucas e A Vida e os Tempos de Paul, O Polvo Vidente e Doc of the Dead);
Luciana Foraciepe (criadora da página Maria Nanquim e editora da revista Xula);
Marcus Alqueres (diretor de The Flying Man);
Lucy Knisley (autora de Relish: My Life in the Kitchen);
Greg Tocchini (ilustrador da série Low da Image Comics);
Marcelo d’Salete (autor de Encruzilhada e Noite Luz);
Glenn McDonald (engenheiro de software especialista em dados musicais);
Heitor Yida (um dos autores do Gibi Gibi);
David Lloyd (ilustrador de V de Vingança e criador do projeto Acces Weekly);
Matt Zoller Seitz (autor do livro The Wes Anderson Collection);
Rafael Coutinho (autor da série O Beijo Adolescente);
Adam WarRock (rapper norte-americano);
Renato Guedes (ilustrador da futura Graphic MSP do Papa-Capim);
Craig Thompson (autor de Blankets e Habibi).

Animação / Cinema

A Teoria Pixar 2 – A identidade secreta da mãe de Andy

Na noite de sábado o jornalista norte-americano Jon Negroni, autor da Teoria Pixar, avisou no Facebook: “Finalmente acabei minha mais recente teoria relacionada à Pixar, ela vai explodir sua cabeça. Uma dica: está ligada a Toy Story. Vai estar no ar segunda-feira, às 8h da manhã. Até lá!”. O post acabou de dar as caras no blog dele, já traduzi e reproduzo aqui. A teoria da vez está centrada em um personagem e não chega a ser tão impressionante como o texto do ano passado, mas mesmo assim é uma secada bem boa. Assim como aconteceu com a Teoria original, o Jon Negroni foi atualizando o post a medida que leitores foram sugerindo novas ideia e também farei isso por aqui. O post original no blog do Jon Negroni tá aqui. Sem mais, segue a continuação da Teoria Pixar:

A VERDADE IDENTIDADE DA MÃE DE ANDY EM TOY STORY VAI EXPLODIR SUA CABEÇA

Tudo começou com um chapéu.

Há alguns meses, um dos meus ajudantes da Teoria Pixar veio com uma ideia maluca: a mãe do Andy é a Emily, a antiga dona da Jessie.

Eu ri. Depois acreditei.

Por algum tempo eu reuni todas as evidências para essa teoria e encontrei vários fundamentos pra ela. Pra começar, presta bastante atenção no chapéu de cowboy que o Andy costuma usar nos filmes:

TP2-1

Aqui vai mais uma imagem:

TP2-2

Como você pode ver, o chapéu do Andy é obviamente diferente do chapéu do Woody. Qual o motivo? Qual o motivo do Any não usar um chapéu que não lembra em nada o utilizado pelo seu brinquedo favorito?

Não é segredo que o Andy tem uma ligação enorme com o Woody. Em Toy Story 2, a mãe dele (que apenas conhecemos como Sra Davis) fala que o Woody é um antigo brinquedo da família.

Não esqueça que o Woody não faz ideia que é um item de colecionador – um brinquedo lançado nos anos 50. Isso torna o Woody bastante diferente dos outros brinquedos, pois todos eles sabem suas origens. É possível que o Woody não saia pois está na família do Andy há anos, possivelmente tendo pertencido ao pai dele.

Mas precisamos de mais evidências. Dê uma olhada no chapéu da Jessie:

TP2-3

Ah, esse chapéu parece familiar. É o mesmo chapéu vermelho com laços brancos que o Andy usa. A única diferença é que o chapéu da Jessie possui um laço branco no centro. Mas volte a olhar pro chapéu do Andy.

TP2-4

Há uma marca no local em que o laço deveria estar. O que você acha dessa marca? E o que a Jessie tem a ver com tudo isso?

Pessoal, vamos lá, vocês lembram a história da Jessie. A Emily, dona dela, cresceu com ela, assim como aconteceu com o Andy e seus brinquedos. Ela era muito amada, mas acabou dando a boneca quando virou adulta. A Jessie acabou guardada durante vários anos, fato confirmado pelo ataque de pânico dela em Toy Story 2 ao cogitar a possibilidade de voltar para um depósito.

Agora, dê uma olhada com atenção no que está na cama do quarto da Emily:

TP2-5

É um chapéu extremamente parecido com, você acertou!, o do Andy. O quarto também é bastante datado, o que leva a crer que isso tudo aconteceu muitos anos antes do Andy ter nascido.

Na verdade, fica claro que não é um ambiente do presente em cenas como essa:

TP2-6

A única diferença entre o chapéu que a Emily usa durante a cena sobre o passado da Jessie e o chapéu do Andy é o laço extra no centro, visivelmente ausente do chapéu do Andy. Além disso, eles são idênticos.

Outra coisa, na caixa de doação em que a Emily coloca a Jessie, não vemos o chapéu. Vemos outras peças da história da garotinha com a Jessie, mas o chapéu não está lá. A caixa nem é grande o suficiente pra caber o chapéu. Então a Emily ficou com o chapéu e provavelmente passou pro seu filho, que cresceu para também amar um brinquedo de cowboy.

Nunca temos um close no rosto da Emily, mas conseguimos ver que ela tem um cabelo castanho-avermelhado e claro quando adolescente. Também é curto.

Semelhante a esse aqui:

TP2-7

A imagem do meio é o mais próximo que temos da cor do cabelo da Emily quando criança. É totalmente aceitável presumir que o cabelo dela ficou mais claro com o passar dos anos, o que parece ter acontecido pelas fotos (ou então ela pintou).

Vamos às nossas certezas:

Não sabemos o primeiro nome da mãe do Andy. Não sabemos o último nome da Emily. Sabemos que o chapéu do Andy e da Emily são os mesmos. Sabemos que a Emily já tem idade suficiente para ser mãe do Andy. Nós definitivamente sabemos que a Pixar é capaz de pensar isso tudo sem deixar claro.

Você pode estar pensando como as duas personagens podem ser a mesma pessoa se a Emily se desapegou tão facilmente da Jessie enquanto o Andy hesitou bastante ao dar seus brinquedos.

Na verdade os cenários são até bastante parecidos. O Andy esqueceu do Woody a medida que ele cresceu, apesar da grande ligação entre os dois. O Andy até se livrou do Woody, apesar de ter sido de uma forma bem diferente.

No final, faz todo o sentido do mundo as duas histórias serem tão semelhante pois os dois protagonistas de ambas possuem o mesmo sangue. Também é uma imensa coincidência do destino que a Jessie acabasse pertencendo ao filho de sua antiga dona, apesar de nunca termos visto a reação da mãe do Andy ao rever sua boneca.

Provavelmente ela agiu de forma indiferente e talvez tenha pensado que era uma versão diferente do mesmo brinquedos. Como você agiria se visse o seu filho com um brinquedo idêntico a um que você teve quando era criança? Sua primeira constatação provavelmente não seria que aquele é o mesmo brinquedo.

O que você acha? Você acredita que os dois personagens são a mesma pessoa e a mãe do Andy/Emily conseguiu se redimir graças ao amor que seu filho teve pelos brinquedos que ela abandou? Ou você odeia diversão, amor e destino? Me conte.