Vitralizado

Posts por data janeiro 2015

HQ

A capa de Space Dumplins, o próximo quadrinho de Craig Thompson

Depois do título, da sinopse e de várias prévias e rascunhos publicadas pelo autor ao longo dos últimos meses, foi revelada a capa de Space Dumplins. O quadrinho é o primeiro título de Craig Thompson em seguida ao grandioso Habibi. Desde já, um dos prováveis grandes lançamentos de 2015. A obra será lançada em agosto nos Estados Unidos. Se tivesse de apostar, pela fama de Thompson por aqui graças ao sucesso de Habibi e Retalhos, não acho que demora pra sair uma edição em português. Aguardemos.

Cinema

The Full Monty: todas as colaborações entre os membros do Monty Phyton em um infográfico

As empreitadas conjuntas dos membros do Monty Phyton não ficaram limitadas aos programas de televisão e filmes estrelados pela trupe. Ao longo dos anos, os comediantes se reuniram várias vezes, em produções de rádio, tv, cinema e teatro dos mais diversos gêneros. Em julho do ano passado, o grupo se reuniu para uma série de apresentações na O2 Arena de Londres. Quando o reencontro foi anunciado o pessoal da revista Delayed Gratification produziu um infográfico, publicado em sua edição de outubro-dezembro de 2013, mostrando todos os encontros dos atores ao longo de suas carreiras. Coisa fina além da conta. Só clicar aqui pra ver uma versão gigante. Recentemente eles publicaram no site da revista o making-of da peça, também imperdível.

MP1

MP2

MP3

MP4

MP5

Cinema / Marvel

Quarteto Fantástico X Interstellar

Ontem já tinha sacado uma certa semelhança entre o clima de Quarteto Fantástico e a vibe existencial/filosófica de Interstellar. A fotografia, algumas cenas e tomadas também lembraram o filme mais recente do Nolan. Aparentemente não fui o único a ver essa semelhança. Ó como casa bem a narração do personagem do Matthew McConaughey em cima das imagens do trailer da obra de Josh Trank:

Cinema

Turbo Kid e Project Almanac: duas apostas para 2015 estreladas por crianças

Me deixo impressionar fácil por um bom trailer. Turbo Kid acabou de ser lançado no Festival de Sundance e as críticas tão sendo bem positivas. De qualquer forma, achei demais essa prévia da produção. Project Almanac também me empolgou. Lembrou um pouco o trabalho do Josh Trank em Poder Sem Limites, mas um pouco menos sujo. Tô até relevando o nome do Michael Bay ali nos créditos. Dá o play, Maca:

HQ

O novo quadrinho de Craig Thompson será lançado em agosto nos Estados Unidos

Agosto é o mês de lançamento do novo quadrinho do autor de Blankets e Habibi. Além da data da chegada de Space Dumplins às livrarias, a editora Scholastic também divulgou a sinopse da obra: Quando o pai de Violet Marlocke desaparece durante uma missão nos confins do Universo, ela embarca em uma missão com alguns amigos desajustados para encontrá-lo. No início de dezembro o quadrinista já tinha postado em seu blog algumas novidades em relação ao desenvolvimento da hq. Segundo ele, na época ele havia encerrado o sexto capítulo e faltava apenas um pra encerrar o quadrinho. Seus problemas maiores estariam em relação ao design da capa e na presença constante de seu gato no estúdio em que trabalha. Tirei as imagens lá do blog do blog do Craig Thompson. O link com a sinopse veio do Victor (valeu!).

Craig2

HQ / Marvel

As novas Guerras Secretas da Marvel, o fim do Universo Ultimate e minha primeira série mensal de super-heróis

Qual foi a primeira revista da Marvel que você comprou? Minhas memórias não são lá essas coisas em relação aos eventos acontecidos antes de 1994. Eu definitivamente comprei alguns quadrinhos da Marvel antes de 94, mas tenho certeza absoluta de uma compra minha nesse ano. Foi o número três de Marvels, só por causa da capa do Alex Ross com o Surfista Prateado chegando na Terra. Hoje não sou o maior admirador dos desenhos do Alex Ross, acho meio estáticos além da conta, mas pirei naquela capa. Provavelmente nem li a edição, não sei se a série é mais recomendada para um menino de 7 anos não iniciado na cronologia da Marvel. Ainda assim, acho que essa primeira compra diz muito sobre o meu hábito como leitor de quadrinhos. Nunca tive muita paciência pra séries mensais, meu negócio sempre foi mini-séries, edições especiais e encadernados. Comprei bastante coisa entre 94 e 2001, principalmente nessa vibe, com histórias fechadas. Lá pra 2000 a Conrad começou a publicar Dragon Ball e Cavaleiros dos Zodíaco e talvez essas tenham sido minhas primeiras coleções de séries publicadas mensalmente ou a cada 15 dias. Também não tive pique pra continuar por muito tempo. Cavaleiros eu parei depois da Saga das 12 Casas e acho Dragon Ball perde um tantão da graça quando vira Dragon Ball Z. Daí em 2001 começam a ser publicadas no Brasil duas das séries que acompanhei por mais tempo, Ultimate Homem-Aranha e Ultimate X-Men. Você já deve ter visto que a Marvel anunciou o fim desse universo depois da publicação de Guerra Secretas né?

UltimateSpider

Antes dessas séries começarem a sair por aqui eu comprava bastante a Wizard americana. Provavelmente era coisa de futuro jornalista: ao invés de comprar os quadrinhos eu comprava a revista especializada que cobria o mundo dos quadrinhos. Quando chegou aqui no Brasil, já tava por dentro da linha: era uma releitura moderna dos quadrinhos da cronologia oficial. Primeiro saiu Ultimate Spider-Man, com o Brian Bendis no roteiro e o Mark Bagley nos desenhos, depois foi a vez de Ultimate X-Men, com texto do Mark Millar e arte dos irmãos Adam e Andy Kubert. Também publicaram Ultimate Marvel Teamp Up, mostrando cada edição um encontro do Homem-Aranha com algum outro heróis da editora. Em 2002 lançaram a cereja do bolo dessa brincadeira toda: The Ultimates, do Millar e do Bryan Hicth. A versão Ultimate do Quarteto Fantástico saiu em 2004, que deve servir de grande inspiração para o filme do Josh Trank, mas tô me adiantando. Estava cansado de ver Bendis e Millar nas primeiras posição do top 10 de escritores da Wizard e Bagley e os Kubert na dos desenhistas. Separadas nos Estados Unidos, as duas séries começaram a sair no Brasil em Marvel Século 21: Homem-Aranha, pela Abril. A Panini chegou ao Brasil pra começar a lançar a Marvel por aqui e herdou a publicação, rebatizada de Marvel Millenium: Homem-Aranha. Acho que comprei a revista até o número 40 e poucos.

MarvelsSurfista

É muito louco pensar no final desse Universo Ultimate por várias razões. Além dele ter sido publicado na primeira série mensal que comprei com regularidade, foram os primeiros blockbusters escritos por Bendis e Millar. Definitivamente serviu de base pra criação do Universo Marvel no cinema. Estou resumindo bastante a história, mas a partir dessas séries os dois pularam pra Demolidor, Alias, Kick-Ass, Vingadores e outros projetos mais autorais. Todas as produções mais recentes com o logo da Marvel – sejam da Marvel Studios, Fox ou Sony – são minimamente inspiradas nas histórias contadas no Universo Ultimate. Acompanho de longe os quadrinhos mensais da Marvel, mais por notícias da internet e por encadernados do que nas bancas todo mês, mas acho óbvio como a abordagem do Universo tradicional foi afetada em definitivo por essas séries lançadas no início dos anos 2000. Tô meio atrasado em relação à notícia de que o Universo Ultimate chegará ao fim, foi anunciado já tem mais de uma semana, e adiantado em relação à publicação da próxima Guerra Secretas, o gibi começa a sair mais pra frente em 2015. Também acho bastante possível que não passe de mais um blefe imenso dessas editoras americanas de super-heróis, o mais provável até. Mas fica aqui minha homenagem e um humilde muito obrigado ao trabalho de Bendis, Millar e cia.

HQ / Marvel

O Quarteto Fantástico de Josh Trank e os Arqueólogos do Desconhecido de Planetary

Já leu Planetary? E o trailer do novo filme do Quarteto Fantástico? Assistiu? Estou forçando muito a barra em ver uma relação entre as duas coisas – pelo menos por enquanto. Achei o vídeo uma prévia muito bem amarrada de uma produção que considero bastante promissora. Já Planetary é um dos clássicos modernos das histórias em quadrinhos. Escrita pelo Warren Ellis e com desenhos do John Cassaday, é uma série de 27 edições protagonizadas por três pessoas, os Arqueólogos do Impossível, que desvendam os mistérios do Universo. Corra atrás dos quatro encadernados que colecionam o título, a Panini relançou ano passado.

Gosto muito de pensar que o Josh Trank vai desligar da estética Marvel e criar uma linguagem e abordagem própria para o que podemos compreender como super-heróis. Aliás, estamos falando do cara que filmou Poder Sem Limites – fácil, fácil no meu top 5 de melhores filmes de super-heróis de todos tempos, junto com o primeiro Super-Homem e o Unbreakable do Shyamalan. Sei lá, pode não ser nada disso e o filme zicar completamente, mas eu boto mó fé nesse Quarteto. Stan Lee e Jack Kirby inspiraram com força o trabalho de Ellis e Cassaday. Josh Trank devia dar o troco com consciência pesada zero. De leve, mas bem de leve mesmo, esse trailer me fez acreditar que isso possa ter rolado. Pra quem conhece, vê só se não tem algo de Planetary nesse Quarteto:

HQ

Alguns quadrinhos recomendados por Brian Bendis

Depois de gravar sua entrevista no programa do Seth Meyers, o Brian Michael Bendis listou alguns quadrinhos que ele considera imperdíveis no momento. Ou melhor, como ele mesmo diz, quadrinhos que você precisa ler “pra entrar nessa de quadrinhos”. No início do vídeo o autor cita os Guardiões da Galáxia, mas depois ele explicou em seu tumblr que se referia a Legendary Star-Lord e Rocket Racoon. As outras são Sex Criminals (foda demais, também não paro de recomendar), Bitch Planet, Gavião Arqueiro, Lazarus, Demon e as novas revistas de Star Wars pela Marvel. Dá o play pra ver a explicaçãozinha dele pra cada um dos gibis mencionados: